Natividade de Nossa Senhora: uma jornada de fé e encontro

0
1025

No dia 8 de setembro, a comunidade católica de todo o mundo se reúne para celebrar a Natividade de Nossa Senhora, uma festa religiosa de grande importância que nos convida a refletir sobre a vida e o exemplo da Mãe de Jesus. Esta data, que homenageia o nascimento da Virgem Maria, tem raízes antigas e uma rica tradição que atravessa séculos. 

A história da Natividade de Nossa Senhora remonta aos primórdios do cristianismo. Acredita-se que sua origem esteja relacionada à dedicação de uma igreja em Jerusalém, construída no século IV, onde se acredita ser o local de nascimento da Virgem. A festa ganhou notoriedade em Roma no século VIII, durante o papado do Papa Sérgio I. Hoje, essa celebração une católicos de todas as partes do mundo em um ato de devoção à Virgem Maria.

A Natividade de Maria

A Igreja Católica, em geral, celebra os santos no dia de sua morte, não no dia de seu nascimento. No entanto, há três exceções notáveis: Jesus Cristo (Natal), São João Batista (quando ele ainda estava no ventre de Isabel) e a Virgem Maria. Maria é uma figura central na história da salvação, presente nos momentos cruciais da vida de Jesus, da encarnação à crucifixão.

Relevância da Festividade

A celebração da Natividade de Nossa Senhora convida todos a refletirem sobre o papel de Maria na realização do plano divino de amor. Ela desempenhou um papel fundamental como mãe de Jesus, mas também como discípula, seguindo fielmente os ensinamentos de seu filho. Maria é reverenciada por seu exemplo de confiança, especialmente nos momentos mais sombrios da vida de Jesus.

O Encontro com Maria

Segundo as palavras da Irmã Carolina Mureb Santos, Filha da Caridade, assim como muitos encontros marcaram a vida de Maria, a própria jornada de fé é enriquecida quando os fiéis se aproximam dela. “O Papa Francisco enfatiza a importância da cultura do encontro, que nos ajuda a construir pontes e derrubar muros, promovendo a fraternidade. Maria nos acolhe em seus braços maternos, ensina-nos a ser discípulos de Jesus e nos inspira a ir ao encontro dos outros.”, comenta a Irmã.

Maria também encoraja a seguir o lema: “Fazei o que Ele vos disser.” “Se olharmos para a Virgem, é possível reconhecer uma mulher que conhecia a história de seu povo, compartilhava suas alegrias e tristezas, e aceitou humildemente a vontade de Deus. Em seu encontro com Maria, somos não apenas acolhidos e consolados, mas também ensinados a abraçar a missão evangelizadora.”, explica Carolina. 

Missão Vicentina e Maria

Quanto à Missão Vicentina, Maria inspira no seu engajamento missionário. Assim como ela visitou sua prima Santa Isabel grávida, a visita aos necessitados deve ser guiada pela mansidão, amor e caridade. “Ao encontrar Maria, somos motivados a servir os irmãos e irmãs, seguindo o exemplo de humildade e disponibilidade que ela nos deixou.”, diz a Irmã Carolina. 

A celebração da Natividade de Nossa Senhora convida todos a refletirem sobre a vida e o legado de Maria, que continua a ser uma fonte de inspiração para os cristãos. Que Maria, Mãe de Jesus, continue a guiar os passos dos vicentinos na fé e inspire a ser discípulos missionários que buscam o encontro com o próximo.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY