Departamento Missionário lançará Missão Pocket no Maranhão

0
1507

Pensando em como disseminar o carisma vicentino de maneira ainda mais eficiente nos quatro cantos do país e ainda envolver cada vez mais as bases da Sociedade de São Vicente de Paulo no processo, o Departamento Missionário lançará as Missões Pocket. São Missões mais enxutas de um final de semana ou feriado prolongado, que, além de fazer o trabalho missionário propriamente dito, vão preparar os vicentinos das cidades envolvidas para continuarem e iniciarem novas atividades missionárias. A Missão Piloto será no Estado do Maranhão, em setembro.

“A ideia é fazer uma Missão mais enxuta, mas sem perder a qualidade que a Missão de uma semana tem. Inspiramo-nos nos livros de bolso, os pocketbooks, que são livros pequenos, em que você tem meio que um resumão do original. A ideia da Missão Pocket é exatamente essa: condensar o conteúdo e qualidade de algo maior, que está validado, e que dá resultados, em algo menor”, explica o Coordenador Nacional do Departamento Missionário do Conselho Nacional do Brasil (CNB), David Alves Faria.

Para implantar esse novo estilo de Missão será feito um Projeto Piloto junto ao Conselho Central de Caxias, no Maranhão. “Estamos desenhando esse modelo há algum tempo e, no feriado prolongado de 7 de setembro, vamos aplicá-lo em Caxias, no Maranhão. A escolha da cidade tem por objetivo continuar o projeto Revitaliza Maranhão, que visa fortalecer a SSVP no estado que possui o segundo IDH mais baixo do país. Os vicentinos precisam voltar a crescer e se solidificar no Estado, por isso, desenvolveremos o trabalho lá, em parceria com o Conselho Central”, conta o Coordenador.

A programação da Missão Pocket em Caxias estará divida em algumas frentes, segundo David: pequenas formações para os vicentinos locais, visitas a confrades e consócias afastados, recrutamento de novos vicentinos e mobilização junto aos padres e paróquias locais. “Vamos realizar dezenas de visitas para vicentinos afastados, com condições de retornar às atividades, vamos ter encontros de formação e de recrutamento, dentre eles haverá encontro com crianças na intenção de iniciar uma CCA, estar em missas de duas paróquias para divulgar a SSVP. A proposta é fazer uma grande movimentação vicentina, com um ponto muito importante para a continuidade desse trabalho: orientar os vicentinos locais como é que se realiza uma Missão, quais as formas de trabalhar, como se realizam visitas missionárias. Então, embora seja uma Missão curta, ela tem a proposta de ser uma ‘Missão Escola’, em que, ao final, fique um pequeno grupo de vicentinos missionários locais, que tenham a responsabilidade de dar continuidade às atividades missionárias nos próximos meses. A nossa intenção é que os vicentinos das bases sejam os protagonistas da Missão Pocket.”, diz David.

O Coordenador ressalta que com as Missões Pockets um número maior de vicentinos poderão participar das ações missionárias da SSVP. “Nem todos têm a possibilidade de participar de Missões de uma semana inteira, o que restringe a participação. Com as Pockets, acreditamos que conseguiremos ampliar essa participação e que mais vicentinos poderão viver essa experiência tão mágica da Missão. Além disso, elas ainda possibilitarão uma pulverização de Missões pelo Brasil. O grande sonho por trás da Pocket é que a SSVP Brasil se torne uma Sociedade de São Vicente Missionária, ver dezenas de ações pequenas acontecendo em cada canto do país com os vicentinos da base, dos Conselhos Metropolitanos, Centrais e Particulares e das Conferências, tomando frente de ações missionárias de revitalização da SSVP. Esse é um dos objetivos a médio e longo prazo das Missões Pockets: quando fizermos 200 anos de SSVP no mundo, que tenhamos uma Sociedade muito maior e mais fortalecida graças a estas missões”, conta.

Para o Projeto Piloto, em Caxias/MA, o Departamento Missionário do CNB contará com parceria com a Família Vicentina. “O Padre Alexandre Fonseca (CM) participará conosco da ação ‘in loco’ e é um grande incentivador do projeto. Nesta etapa, teremos o Padre Alexandre, eu, o Thiago Alvim, que é membro do Departamento Missionário do CNB, o Flávio Pereira, coordenador de Missões do Conselho Metropolitano de Teresina, a nossa Vice-presidente para a Região 7, Ângela Dutra, vicentinos do Conselho Central de São Luiz e do Conselho Central de Caxias, presidido por José Santos. Isso mostra quanto o trabalho missionário é sempre feito a muitas mãos, muitos corações; é sempre a somatória do pouco feito por cada um, que acaba se transformando em coisas belas e grandiosas.”, finaliza o Coordenador David.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY