CNB libera R$ 300 mil para Projeto 13 Casas

0
1668
fonte: Famvin.org

Dar um teto para aqueles que mais precisam para que possam viver com dignidade com suas famílias. Esse é o intuito do Projeto 13 Casas, da Família Vicentina. Pela primeira vez, o Conselho Nacional do Brasil abraça efetivamente a causa e irá financiar parte do Projeto. As inscrições para as Unidades Vicentinas estão abertas até o dia 28 de fevereiro para que, em colaboração com outros ramos da Família Vicentina e/ou organizações parceiras, recebam financiamento para construção ou reforma de moradias para pessoas sem teto em situação de rua ou pessoas em risco de ficar sem casa, moradias precárias ou com necessidades básicas, refugiados ou pessoas deslocadas. Pelo menos R$ 300 mil, provenientes da Contribuição da Solidariedade, serão disponibilizados pelo CNB para o Projeto neste ano.

“A promoção do Pobre acontece também quando ele consegue uma moradia digna para viver com sua família. É preciso pensar nisso também, com a mesma preocupação que temos com o alimento, vestimenta e com o lado profissional de nossos assistidos. Pensando nisso e com o objetivo de irmos além, o Conselho Nacional do Brasil está abraçando efetivamente esse Projeto e disponibilizando neste ano R$ 300 mil para a construção e reforma das casas daqueles que realmente mais precisam em nosso país. Nesta etapa atenderemos os projetos elegíveis até esgotar o montante de recursos previsto. Os projetos adicionais, ainda que elegíveis para o apoio adicional do CNB, ficarão condicionados a disponibilidade de recursos”, explica a 1ª Vice-presidente do CNB, Elisabete Maria Castro, a Bete.

A parceria com a Familia Vicentina é essencial para que a inscrição seja aceita. Além disso, é preciso que as necessidades locais sejam identificadas e o projeto apresente uma solução para elas; a principal organização responsável seja uma Unidade da SSVP;
o projeto tenha o compromisso de colaborar com outros membros da Família Vicentina e/ou outras organizações que compartilham/apoiam os valores vicentinos no país, os beneficiários sejam pessoas sem teto e a localização do projeto seja no território brasileiro, em terreno legalizado (com escritura ou Cessão/Termo de posse).

É importante destacar que os Conselhos Metropolitanos que forem contemplados deverão designar um confrade ou consócia para ser referência dos projetos “13 Casas” na área de atuação do CM, sem necessariamente que esteja a ocupar encargo na diretoria. “Essa pessoa será responsável pelo acompanhamento do projeto contemplado, como um padrinho/madrinha, procurando incentivar, orientar e buscar meios para a efetivação do projeto e participar da elaboração dos relatórios de acompanhamento. Este Padrinho/Madrinha será uma ponte entre o CNB e a Unidade contemplada com os recursos do projeto. Ele é de extrema importância nesse processo”, ressalta Bete.

As Unidades Vicentinas interessadas devem fazer suas inscrições até às 23h59 do dia 28/02/2023 pelo e-mail [email protected]

Confirma o edital na íntegra, clicando aqui.

História do Projeto

Como parte das comemorações dos 400 anos do nascimento do carisma vicentino, em 2017 os líderes da Família Vicentina lançaram a “Aliança Famvin com as pessoas Sem-teto (FHA sigla em inglês)”. O objetivo é reunir a Família Vicentina global para fornecer ajuda prática e incentivar mudanças sistêmicas para milhões de pessoas em todo o mundo que não têm um lugar que possam chamar de lar. Para concretizar esta iniciativa, em 2018 foi lançada a “Campanha 13 Casas”, com a finalidade de desenvolver projetos colaborativos e em resposta prática à condição dos desabrigados no mundo. A
definição de pessoas desabrigadas inclui pessoas na rua, refugiados, deslocados internos, bem como aqueles que vivem em bairros marginalizados (favelas) ou em habitações inadequadas.

“A Campanha tomou por inspiração a experiência das 13 casas de Vicente,
em 1643. Naquela ocasião São Vicente recebeu uma doação de Luis XIII e escolheu construir 13 casas para cuidar das crianças abandonadas. As despesas correntes dessas casas foram assumidas pelas Damas da Caridade, enquanto as Filhas da Caridade cuidavam das crianças. Trabalhando juntos, a Família Vicentina ajudou milhares de crianças que teriam morrido nas ruas”, conta Márcia Moresch, representante da Família Vicentina no CNB.

Para sanar possíveis dúvidas ou questionamentos, basta entrar em contato diretamente com os membros que compõem a Equipe de Projetos “13
Casas” do CNB:
➢ Marcia Moreschi – e-mail: [email protected]

➢ Elisabete Maria de Castro – e-mail: [email protected]

➢ Padre Emanuel Bêde– e-mail: [email protected]

➢ Cesar Custódio – e-mail: [email protected]

➢ Mariana Calegário – e-mail: [email protected]

➢ Rodrigo Rodrigues Pereira – e-mail: [email protected]

➢ Irmã Emília Pereira dos Santos – e-mail: [email protected]

➢ Alfredo de Souza Lima – e-mail: [email protected]

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY