Renda de família contemplada por Projetos Sociais chega a R$2 mil

0
3984
Raquel e o marido Emerson

 

O sonho da vida de Raquel Coutinho Gomila (34) era ter uma cozinha em tons de verde. Parecia impossível de ser realizado. O marido foi preso por tráfico de drogas e a família mal tinha dinheiro para comprar comida. Quando ele cumpriu a pena e foi solto, enfrentou o desemprego e o preconceito. Passando por dificuldades, a família de Raquel buscou ajuda com os vicentinos da cidade de Resende (RJ). Os confrades e consócias doaram muito mais que comida; deram à família assistida a oportunidade de ser promovida; e a matriarca pôde conquistar a tão sonhada cozinha verde, paga com o esforço do suor do trabalho dela e do esposo.

Sonho realizado: a cozinha verdade que a ex-assistida tanto queria ter
Sonho realizado: a cozinha verdade que a ex-assistida tanto queria ter

A consócia Rosana Carla contribuiu na elaboração do Projeto Social contemplado pelo Conselho Nacional do Brasil da Sociedade de São Vicente de Paulo (CNB/SSVP) em favor de Raquel. Ela conta que os vicentinos, durante as visitas , observavam o dom e o carinho com os quais a ex-assistida cozinhava. Também perceberam que o marido tinha muita aptidão para vendas. Um casamento perfeito: a esposa cozinha e o marido vende.

Os idealizadores do projeto pediram ao CNB recursos para comprar fogão, freezer, micro-ondas e materiais para que Raquel pudesse produzir empadas, no valor de R$3 mil. Ele foi contemplado e a ex-assistida recebeu tudo o que precisava para trabalhar.

EMPREENDEDORISMO

As empadas são produzidas de sabores variados. Dentre as mais pedidas estão a de cachorro-quente e carne de sol
As empadas são produzidas de sabores variados. Dentre as mais pedidas estão a de cachorro-quente e carne de sol

“Raquel foi promovida, graças a Deus. O sucesso do projeto se deu porque os vicentinos souberam captar o que ela gostava de fazer. Isso é muito importante. Nós não podemos induzir um assistido a trabalhar com isso ou aquilo, precisamos explorar o potencial de cada um deles” – comenta a consócia Rosana Carla.

Além do dom de cozinhar, Raquel tem também o dom de administrar. Ela chega a faturar mensalmente cerca de R$2 mil. Mas sabe que não pode gastar tudo. “Somos muito organizados. Uma parte que ganho eu separo para repor materiais, uma outra parte eu guardo e a terceira eu sei que posso gastar”, explica.

O dinheiro vem sendo muito bem investido. Ela mobiliou a casa toda.  E fala com orgulho do que conquistou. “Aqui em casa agora tem televisão de plasma. Um luxo! Eu conquistei a minha tão sonhada cozinha verde. Tudo com o meu trabalho”.

“Ninguém nunca acreditou na gente, apenas os vicentinos”

Por causa do passado com o envolvimento de drogas do marido, Raquel conta que eles sempre foram desacreditados até pela família. “As pessoas achavam que nós nunca fôssemos vencer na vida. Ninguém nunca acreditou na gente, apenas os vicentinos. Enquanto todo mundo dava as costas, os vicentinos estenderam as mãos. São anjos em nossos caminhos”, complementa Raquel: “hoje, com a nossa vitória, a sociedade nos vê com respeito”.

Da experiência de vida entre a dificuldade e a promoção, a ex-assistida tira uma lição importante. “Nós não tínhamos nada, por isso, nunca tivemos sonhos grandes. Mas Deus não criou a gente para viver com pouco. Ele quer muito para todos nós. É só preciso que haja oportunidade e que saibamos aproveitar essa oportunidade”, encerra.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY