25 anos da beatificação de Antônio Frederico Ozanam

0
1345

Em 25 anos muita coisa mudou no mundo. Principalmente quando observamos as coisas pelo lado tecnológico, marca dos tempos atuais.

Voltar todo este tempo no passado nos faz refletir de quanto mudamos ou não.

É bom relembrar épocas passadas, experiências passadas. Sem melancolia, mas com saudades.

E nesse exato 22/08, em 1997, a Igreja reconhecia de forma definitiva a importância de Antônio Frederico Ozanam, com sua beatificação, na Catedral de Notre-Dame de Paris, na França.

Foi, sem dúvidas, o maior acontecimento da história da SSVP – Sociedade de São Vicente de Paulo e, muito em especial, para a Igreja da França que viu, assim, elevada aos altares uma das figuras mais ilustres que ela gerou no Século 18.

Mas como um Santo pertence a toda a Igreja nós, aqui no Brasil, de toda a Família Vicentina, mas especialmente da SSVP, estamos, também, particularmente felizes e comemorando com grande entusiasmo.

Mas, por quê Ozanam e não outros?

É evidente que cada Bem-aventurado, tem o seu carisma particular. Não é difícil definir os traços específicos de nosso principal fundador. Ele foi, por excelência e na sua plenitude, o exemplo de leigo cristão.

Ele se santificou na vida familiar, na sua atividade profissional, no combate político, no seu compromisso social, na defesa justiça, na busca espiritual.

Ele foi. E ele fez. E ele mereceu.

A emoção de quem esteve lá

O Vice-Presidente do Conselho Nacional do Brasil, confrade Jean de Morais Araújo, esteve em Paris, naquela época, e viveu de perto todos os momentos que envolveram aquela celebração: “realmente foram dias inesquecíveis. Mesmo tendo passados 25 anos, já. Eu era, então, um confrade no início da minha vida vicentina, empolgado com o trabalho das Comissões de Jovens”.

Mas a cerimônia da beatificação em si foi uma parte de tudo o que aconteceu.

Primeiro, de se registrar, a grande quantidade de vicentinos brasileiros. De todos os lugares do Brasil. Amizades que foram formadas naquela viagem e que duram até hoje, “como a que tenho com o confrade Júlio César Marques de Lima, de Belo Horizonte/MG, um cara fantástico, um vicentino de verdade!”.

Nos dias anteriores e posteriores houve eventos que reuniram todos os membros da SSVP do Mundo presentes naquela cidade maravilhosa (como o encontro de oração e espetáculo artístico no Parque Floral de Vicennes).

E, mesmo depois da beatificação, ainda continuaram ocorrendo atividades (como a Missa em Ação de Graças presidida pelo saudoso e então Cardeal Arcebispo de Paris, Dom Jean-Marie Lustiger, realizada na Igreja de Saint Sulpice, que era frequentada por Ozanam).

“Devemos sempre lembrar que a beatificação de Ozanam ocorreu durante a 12ª Jornada Mundial da Juventude. Então, só por isso, dá para imaginar quantos milhares de pessoas estavam em Paris. Eu e meus companheiros de viagem participamos de uma missa com 1 milhão de pessoas! Num mesmo local! Inacreditável! ”, relembra o confrade Jean.

A beatificação de Ozanam possibilitou conhecer, ver de perto, lugares que marcam a história da SSVP: a Capela da Medalha Milagrosa, por exemplo.

“Mas os dois momentos mais emocionantes, sem dúvida, foram aqueles em que tivemos oportunidade de visitar o corpo de São Vicente de Paulo (localizado na Capela da Casa Mãe da Congregação da Missão) e o túmulo do próprio Bem-aventurado (na Igreja de São José de Carmes): não há nada igual estar nesses dois lugares para um vicentino!”, diz Jean.

Os principais benefícios, daquele momento, há 25 anos:

– maior divulgação de seu nome e, por consequência, do nome da própria SSVP;

– maior espírito de oração entre os vicentinos do Brasil e do Mundo;

– mobilização dos vicentinos em torno da Semana de Ozanam e do conhecimento de sua vida e obra;

– valorização e maior entendimento do sentido da Beatificação;

– aumento do prestígio da SSVP junto à Santa Sé (Vaticano);

– oportunidade de divulgar o trabalho desenvolvido pela SSVP junto aos assistidos;

– reconhecimento da Igreja e do Poder Público;

– um modelo colocado à disposição da juventude; e o

– fortalecimento do chamado “ESPÍRITO PRIMITIVO” da SSVP.

– Implementação dos processos de mudança, organização e modernização do trabalho da SSVP.

Ozanam, um homem enraizado no seu tempo, mas um homem como todos nós.

Muitas vezes imaginamos Frederico Ozanam como um santo distante, totalmente dado a Deus, à oração, às obras, que poderia parecer estranho às paixões de homens.

Essa imagem deve ser definitivamente afastada.

Pois, logo que nos familiarizamos com os escritos e, principalmente, sua abundante e maravilhosa correspondência, que interroga as testemunhas da sua vida no dia a dia, descobre-se uma alma palpitante, um coração generoso, nunca satisfeito, sempre atento, batendo ao ritmo da vida do próximo, dos seus amigos, seus irmãos na adversidade (os Pobres).

Portanto, um homem de carne de sangue.

Ele levava uma vida de homem e corpo inteiro, exatamente como nós. E se essa vida foi transformada por uma santidade adquirida progressivamente, ela nunca foi uma forma angelical.

Ele era um homem comprometido com as causas dos mais desfavorecidos. Ela era pai, era marido. Era irmão, era tio. Ele era professor, advogado, era trabalhador. Ele era vicentino, era confrade.

E isso tudo cada um de nós também pode ser.

Que Antônio Frederico Ozanam, dos céus, continue intercedendo por nós junto a Deus! E que nós, aqui nesse mundo terreno, possamos ter coragem de seguir sua obra!

Clique aqui para ler a homilia de São João Paulo II a respeito da vida, obra e legado de Ozanam.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY