Um exemplo de Pai: o pai do dos Vicentinos

0
1370

“À minha filha, lanço a bênção dos patriarcas, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.  É bem triste para mim não poder consagrar-me por mais tempo à obra de sua educação.  Confio-a, porém, sem amargor à sua virtuosa e tão querida mãe.”

O trecho acima pode facilmente ser atribuído a qualquer pai, que doente resolve fazer um testamento. A preocupação com a educação da filha, a tristeza de saber que talvez não seja possível vê-la crescer e o pedido de bênção, certamente, são característicos de um pai que pode partir sem acompanhar o crescimento com os filhos. Mas o texto citado não é retrato dos anseios e preocupações de qualquer pai. É parte extraída do testamento de Frederico Ozanam, escrito em Pisa, aos 23 de abril de 1853, quando ele, em seu aniversário de 40 anos e doente, resolveu deixar em poucas palavras suas últimas vontades.

Muito se fala dos sete fundadores da SSVP. Muito se fala de um deles em especial, Frederico Ozanam. Mas nem sempre se fala do PAI Ozanam. Por isso, nesse Dia dos Pais, vamos lembrar o lado paterno do nosso fundador e nos inspirar ainda mais no legado que ele nos deixou, não só como vicentino, mas como homem e pai.

O desejo da paternidade para Ozanam é claro em suas cartas e escritos. Talvez isso se dê por sua relação com seu próprio pai, João Francisco Ozanam, que lhe passou os valores, os exemplos e os fundamentos de uma vida plena em família, com base na honestidade, na educação e na religião. A morte de seu pai marcou-o sobremaneira, o que é possível comprovar em suas cartas, quando ele relata o momento com profunda dor e tristeza.

Ao se casar com Amélia, Ozanam começou a constituir sua própria família e essa construção passou pela paternidade. Mas antes de ter as alegrias de ser pai, Ozanam, com o nascimento de Maria Josefina, ele passou pela dor, ao lado de Amélia, que ficou grávida duas vezes, sofrendo abortos espontâneos. Perder dois bebês no início de um matrimônio certamente não foi fácil, mas a capacidade de amar trouxe ao casal a filha Maria Josefina, em 1845, quando Ozanam tinha 32 anos de idade.

Ozanam passou apenas oito anos ao lado da filha e sua preocupação genuína em não vê-la crescer, ao adoecer, é expressa em seu testamento e nas cartas que escrevia aos pais e amigos. Todo esse material, a cada momento em cita Maria Josefina, reflete o amor do Ozanam pai.

Ozanam pai é tido como exemplo, tanto que em sua oração de canonização é dito: “Em família, ele se revelou filho, irmão, esposo e pai excepcional. Em todos os aspectos de sua breve existência, emerge sua visão profética da sociedade, tanto quanto a influência de suas virtudes”.

Virtudes essas que são seu maior legado, para a filha, para a família, para os amigos e para todos os vicentinos do mundo, que quase 170 anos depois de sua morte, seguem seu exemplo e mantêm viva a corrente de amigos em prol dos Pobres, a SSVP! Ele foi pai e passou sua grande herança não apenas para Maria Josefina, mas para todos os mais 800 mil vicentinos espalhados pelo mundo!

Feliz Dia dos Pais a todos!

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY