Viva Nossa Senhora de Fátima, padroeira da Região 1

0
952

Hoje é Dia de Nossa Senhora de Fátima, a padroeira da Região 1 da Sociedade São Vicente de Paulo. Você conhece a história dela?

Nossa Senhora de Fátima se refere à aparição de Maria, mãe de Jesus, na cidade portuguesa de Fátima, há pouco mais de 100 anos, quando ela contou “segredos” ou revelações a três crianças. 

Essas revelações ficaram guardadas por anos, mas a história de Nossa Senhora de Fátima começa muito antes delas. Em 1916, três crianças pastoras de ovelhas, Lúcia dos Santos, 10 anos, Francisco, 9 anos, e Jacinta Marto 7 anos (os dois últimos irmãos), receberam em três ocasiões a aparição de um anjo, que teria anunciado que Nossa Senhora de Fátima falaria com eles. 

A primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima aos “Pastorzinhos de Fátima”, como ficaram conhecidas as crianças, aconteceu no ano seguinte, em 13 de maio de 1917. 

Cada um deles recebia o conteúdo das aparições de maneira diferente: apenas Lúcia interagia, vendo, ouvindo e falando; Jacinta via e ouvia, mas não falava, enquanto Francisco apenas via, então foi autorizado por Nossa Senhora que elas contassem o conteúdo a ele e apenas ele.

As aparições se repetiriam sempre no dia 13 dos meses seguintes, até outubro, exceto em agosto, quando ocorreu no dia 19. Nos encontros, a figura que apareceu às crianças teria se identificado como “Senhora do Rosário”. Ela foi descrita como uma mulher brilhante, envolta em luz e teria feito dois pedidos ao trio: que rezassem muito e aprendessem a ler. 

Foi na aparição de julho, que Nossa Senhora contou às crianças o que ficou conhecido como “O Segredo de Fátima”. O conteúdo da mensagem ficou sem ser revelado por anos, dando à história um ar de mistério e curiosidade. 

O “Segredo de Fátima” foi dividido em três partes e teve as duas primeiras reveladas em agosto de 1941, em um livro escrito por Lúcia. A primeira parte refere-se à visão do Inferno. “Nossa Senhora mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados em esse fogo, os demônios e as almas, como se fossem transparentes e negras ou bronzeadas, com forma humana, que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas que delas mesmas saíam juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das faúlhas em grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gemidos e gritos de dor e desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor. (…) Esta visão foi um momento, e graças à nossa boa Mãe do Céu, que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o Céu (na primeira aparição)! Se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor”, escreveu Lúcia na sua Terceira Memória (1941).

A segunda parte do segredo a ser revelada foi a devoção ao chamado Imaculado Coração de Maria, com uma concreta referência à conversão da Rússia, como modo de evitar uma nova guerra, ainda pior do que a Primeira Guerra Mundial. “Para a impedir virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem aos meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz”, revela Lúcia, na mesma Memória.

A terceira parte também foi escrita por Lúcia em 1944, mas só foi revelada em 13 de maio de 2000, pelo cardeal Ângelo Sodano, Secretário de Estado do Vaticano, a pedido de João Paulo II, durante as cerimônias de beatificação de Francisco e Jacinta Marto, em Fátima. Ela fala sobre a perseguição sofrida pela Igreja.

“E vimos numa luz imensa que é Deus: ‘algo semelhante a como se veem as pessoas num espelho quando lhe passam por diante’ um Bispo vestido de Branco ‘tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre’. Vários outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subiram uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fora de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia em ruínas, e meio trêmulo com andar vacilante, acabrunhado de dor e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns atrás dos outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e várias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de várias classes e posições (…)”, conta Lúcia na mesma Memória.

Lúcia, em 2000 em uma conversa com o cardeal Tarcisio Bertone, então Secretário da Congregação para a Doutrina da Fé, concordou que a terceira parte do Segredo consiste numa visão profética, sobretudo sobre a luta do comunismo ateu contra a Igreja e os cristãos, na qual se descreve o sofrimento das vítimas da fé no século XX.

Os irmãos Jacinta e Francisco faleceram de gripe espanhola em 1920 e 1919, respectivamente e não puderam ver a proporção que o segredo tomou no mundo e para os católicos. Já Lúcia, conhecida como Irmã Lúcia, se tornou freira e morreu em 2005, aos 97 anos. Os irmãos foram canonizados pela igreja católica em 2017; o caso de Lúcia está em análise.

Nossa Senhora de Fátima é admirada e causa devoção em católicos do mundo inteiro. Dentro da SSVP são milhares de devotos, tanto que ela se tornou a Padroeira da Região 1. 

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY