Romaria a Aparecida: cerca de 40 mil pessoas vão ao maior evento vicentino do mundo

0
15843

Uma verdadeira demonstração de fé e devoção. Assim foram os três dias da 51ª Romaria dos Vicentinos a Aparecida, de 5 a 7 de maio. Em cada evento, em cada espaço, em cada oração os milhares de vicentinos se emocionaram, cantaram, dançaram e, acima de tudo, rezaram à Mãe. O tema escolhido para este ano não poderia ser mais propício para o que se viu: “Maria, renova nosso compromisso vocacional com os Pobres”. E na Casa da Mãe, o que não faltou foi oração e demonstração de amor a ela e pela SSVP.

Segundo a coordenadora da Comissão Organizadora da Romaria, a 1ª Vice-presidente do Conselho Nacional do Brasil (CNB), consócia Elisabete Maria Castro, a Bete, falar da 51ª Romaria é “traduzir num final de semana intenso, cheio de espiritualidade, encontros e reencontros. Aparecida foi tomada por dezenas de milhares de vicentinos reanimando e reavivando seu carisma, renovando seu compromisso com os Pobres. Encontramos vicentinos de todo o país com o mesmo objetivo de viver, agradecer e pedir as bênçãos da Mãe. Ainda anestesiados pela vivência da 51ª Romaria, estamos na expectativa dos bons frutos que colheremos para a SSVP. O nosso grande desejo é que tudo que foi vivido, ouvido e partilhado possa ser vivido dentro das nossas Conferências para que nós tenhamos uma SSVP mais forte, mais unida, em busca do nosso objetivo que é sempre servir melhor os nossos Mestres e Senhores”. 

A programação começou no dia 5, sexta-feira, no Caminho do Rosário, com o Terço. Ao longo do caminho, cinco crianças se vestiram de Nossa Senhora Aparecida, das Graças, Rosa Mística, Carmo e de Fátima e acompanharam os romeiros durante a oração conduzida pelo Assessor Espiritual do CNB, Padre Emanoel Bedê. Ao final do evento, os milhares de vicentinos ascenderam as lanternas dos celulares e um show de luzes foi visto ao longo do caminho.

No sábado, as atividades começaram com a Via Sacra no Morro do Cruzeiro, que ficou tomado por vicentinos. Bebês, crianças, jovens, adultos, idosos, cadeirantes se colocaram a caminhar pelas 14 estações que ilustram o calvário de Jesus. Ao som da Banda Ozanam e da pregação de Padre Emanoel, o que se viu foi uma demonstração de fé e amor, embalada pela emoção dos romeiros. Neste ano, nove jovens se vestiram de Nossa Senhora Aparecida e entregaram aos romeiros botões de rosas amarelas ao longo do caminho. Era comum após este gesto, ver as pessoas chorando ainda mais de emoção. Os participantes, diferente dos outros anos, puderam carregar a cruz pelo Morro. E a participação começou de maneira muito especial: o pequeno Vicente, de 10 anos, que foi de Londrina a Aparecida, fez questão de iniciar o trajeto e animado falou: “vou subir o morro todo sem cansar e levar a cruz até onde conseguir”.

A programação seguiu com a abertura da “Exposição dos 150 anos da SSVP no Brasil”, no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho de Almeida, que reuniu artefatos, como a primeira ata da primeira Conferência, relíquias e fotos da história da SSVP. A Exposição teve organização e pesquisa de Elisabete Maria Castro, Maria Margarete Santos, Rodrigo Rodrigues Pereira, Rogério Torres Carpanez e Samuel Godoy da Silva. “Estarmos na Romaria 2023 celebrando ainda os 150 anos da SSVP no Brasil é fazer memória de uma história escrita ao longo dos anos por milhares de Conferências, confrades, consócias e benfeitores que nestes fizeram e fazem perpetuar o legado de amor, serviço e caridade para com os Pobres no Brasil. Esta Exposição quer nos mostrar, através de tudo e de cada item exposto, a grandiosidade, importância e riqueza em valores humanos e sagrados da SSVP Brasil na grande Rede de Caridade sonhada e iniciada pelo Beato Antônio Frederico Ozanam. Ela nos incita e nos direciona para que nossas Obras Unidas, Conselhos e Conferências não apenas redobrem a preocupação, zelo e cuidado com o material histórico da Caridade e com os Pobres em suas regiões, mas se empenhem em montar espaços visíveis que guardem e mostrem aos vicentinos e à população em geral toda história e beleza da SSVP em ‘Servir na Esperança’”, afirmou o Presidente do CNB, confrade Márcio José da Silva.

CCA é SHOW!

As crianças e adolescentes das sete regiões deram literalmente um show à parte durante toda a Romaria. O show de talentos prendeu a atenção de pais e dos visitantes que estiveram no Centro de Eventos durante a tarde. Ao todo, participaram do Show de Talentos 180 crianças e adolescentes em 26 apresentações. Além das apresentações regulares, a novidade do ano, foi o “Se Vira nos 51”, no qual as crianças tinham apenas 51 segundos para se apresentarem. 

Já no domingo, a coroação de Maria durante a Festa Regulamentar também ficou ao encargo das CCA’s. E mais uma vez, os pequenos deram um show de beleza, criatividade e emoção: 35 Nossas Senhoras “invadiram” o palco para a coroação, que foi realizada por outra criança e embalada pelo som da CCA também. 

Ao todo, as CCA’s do Brasil levaram 252 crianças e adolescentes à Romaria. “Foi maravilhoso receber nossas crianças para poderem partilhar seus dons no Show de Talentos. Em nossa terceira edição, pela primeira vez, tivemos representantes das sete Regiões. Nossas crianças estão inovando. Neste ano não tivemos a categoria teatro, que eles tanto gostam, e eles deram um jeito de colocar isso na dança e na música. Temos que agradecer os conselhos Metropolitanos, Centrais, Particulares e principalmente as coordenadoras, que incentivam e levam as crianças para o evento. Neste ano propusemos também que cada Conselho Metropolitano levasse uma criança de Nossa Senhora e isso aconteceu e foi a coisa mais linda. Não poderia ser diferente, porque a CCA é show”, explica a Coordenadora Nacional de CCA’s, Maria Aparecida Peteck. 

Participação Internacional

Os representantes dos 11 países que estiveram no “III Encontro Territorial da SSVP da América do Sul” acompanharam os três dias da Romaria e todas as suas atividades. Além disso, eles puderam trocar experiências com 200 presidentes vicentinos durante o workshop “Conectando a Rede de Caridade”, que aconteceu no sábado à tarde.

Juventude Vicentina

A Juventude Vicentina proporcionou momentos de grandes emoções, aprendizados e integração. O Festival Ozanam reuniu 14 apresentações de jovens das sete regiões de música e dança. Teve baião, xaxado, forró, sertanejo, samba, pagode, axé, funk, MPB, música religiosa. Os jovens fizeram uma verdadeira mistura cultural de encher os olhos de quem participava. E por falar em encher os olhos, a grande novidade desta edição foram os estandes em que cada região apresentou ao público um pedacinho da sua terra por meio de comidas, vestuário, artesanato, instrumentos musicais, estátuas vivas representando personagens marcantes. Foi muita criatividade para levar o público a cada pedacinho do Brasil.

 “O Festival foi preparado com muito amor e carinho. No ano passado eu pude fazer o passeio à cúpula da Basílica e lá vi que tem potinhos com terra de todos os Estados, água dos principais rios do Brasil. Ou seja, tem um pedacinho de todo o Brasil na Casa da Mãe. Me deu um estalo e eu tive a ideia de trazer um pedacinho de cada Região da SSVP para a Casa da Mãe também. E assim nasceu a ideia dos estandes e das apresentações culturais. Tivemos uma diversidade de culturas maravilhosa pela dança, música, comida, artesanato. Foi muito lindo ver o empenho da nossa juventude em preparar com tanto carinho os estandes, as apresentações. Foram muitas mãos para o nosso festival e isso é maravilhoso, porque quando nos unimos, fazemos coisas espetaculares. A juventude mostrou sua força na família vicentina, seja no palco, nos estandes ou na plateia”, afirmou o Coordenador Nacional da Comissão de Jovens, Geyson Tôrres.

Último dia

O Centro de Eventos, com capacidade para 15 mil pessoas, ficou tomado pelas cores das sete regiões vicentinas no domingo. O dia começou com a Festa Regulamentar, que teve em sua abertura a entrada dos 11 países que se reuniram durante o Encontro Territorial e a Romaria. 

Em sua fala de abertura, o presidente do CNB, confrade Márcio, resumiu: “Desejo alicerçar nossa Festa Regulamentar em louvor aos 210 anos do nascimento de Ozanam, 190 anos de fundação da Sociedade de São Vicente de Paulo no mundo e 150 anos no Brasil, em quatro pilares fundamentais da nossa caminhada Vicentina: Nova Regra da SSVP no Brasil; A mística da visita aos Pobres; Maria, renova nosso compromisso vocacional com os Pobres; e O Amor de Deus”.

Sobre a importância da Romaria, o presidente foi claro: “Na nossa caminhada junto dos Pobres, Conferências, Conselhos e Obras Unidas, corremos o risco de cansar, desanimar ou abandonar nosso chamado vocacional de viver e morrer a serviço dos Pobres. Para se fortalecer, enfrentar e vencer este risco, o caminho é diante de Nossa Senhora pedir com muita Fé: “Maria Mãe de Deus e nossa, renova nosso compromisso vocacional com os Pobres…”, interceda por nós para que sejamos fortes, firmes e perseverantes na caminhada vicentina, dê-nos discernimento, sabedoria, humildade e persistência renovando nosso Compromisso Vocacional Vicentino de nunca desistir ou deixar de socorrer nossos Mestres e Senhores”.

O Vice-presidente Territorial para América Latina, confrade Júlio César Marques de Lima, destacou em sua fala a grandeza da SSVP no mundo e na América Latina. Já o Presidente-geral do Conselho Geral Internacional, Renato Lima de Oliveira, destacou a importância da Romaria, do Brasil para a SSVP no mundo, se despediu dos brasileiros como presidente do CGI, uma vez que estava no último evento grande no Brasil no cargo e fez um conclame: “Quando você for chamado a assumir um encargo nas Unidades, seja qual for, vá e participe das eleições. Não há coisa melhor do que servir a Sociedade e Deus capacita”, falou.

A Ex-presidente do CNB, consócia Emília Fernandes Figueiró Jerônimo falou sobre o tema da Romaria e destacou a importância de se renovar o carisma na Casa da Mãe. “Enquanto estamos aqui, na Romaria, milhares de pessoas estão sendo atendidas por outros vicentinos por nosso país. Temos que nos fortalecer na fé e não deixar esse carisma ser abalado por nada”, defendeu.

A animação da festa ficou por conta da banda Ministério Penamar, que também apresentou pela primeira vez a música vencedora do Concurso Cultural do Ano Temático, “A visita”, do confrade Heverton Alves dos Santos, vocalista da banda.

O presidente do CNB recebeu a Relíquia de 1º Grau Do mais novo beato vicentino, Henri Planchat, das mãos do Ir. Agenor, dos Religiosos de São Vicente.

A Romaria foi finalizada com a Santa Missa, celebrada pelo Padre Emanoel, acompanhado por diversos padres e diáconos. Em sua fala final, a consócia Bete, anunciou a data da Romaria do ano que vem: de 1 a 3 de março.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY