Palavras de esperança em tempos de crise

0
1542

Levar afeto e conforto aos assistidos está no cerne da missão vicentina. Em um momento difícil pelo qual passamos, palavras de esperança são sempre bem-vindas.

Separamos algumas citações de agora e do passado, para repassarmos aos nossos assistidos e fortalecê-los, assim como a nós mesmos!

“A falha de muitos é esperar pouco”

Esperança! A falta de muitos cristãos hoje é ter pouca esperança […] São os apóstolos no barco durante a tempestade: esquecem que o Salvador está no meio deles. Nestes tempos de desunião, estamos muito felizes com tudo o que pode nos unir, e quando a maioria dos homens se dá ao trabalho de se odiar, como não tentar amar uns aos outros? Uma vez que [Nosso Senhor] está em nosso meio, o que nos resta a temer, e não estaremos bem guardados contra os perigos que nos cercam? 

Frédéric Ozanam (Carta para Prosper Dugas, 12 de julho de 1849

“Que tanto sofrimento não seja desnecessário”

Queira ao Céu que tanto sofrimento não seja desnecessário, que demos um passo rumo a uma nova forma de vida e descubramos definitivamente que precisamos uns dos outros e estamos em dívida uns com os outros, para que o homem renasça com todas as faces, todas as mãos e todas as vozes além das fronteiras que criamos! 

Papa Francisco (Fratelli Tutti, §35)

“Por um contágio de felicidade”

É nos pequenos gestos, nas pequenas atenções, nas pequenas palavras de conforto, na ludicidade, que esta virtude [da esperança] brilhará em nós […] Cristo não clamou no Gólgota:“ Meu Deus, meu Deus, por que você me abandonou? Mas é nas mãos de seu Pai que ele devolve seu espírito no momento seguinte, na cruz. Nós também, que aqueles que nos vêem ir para a cama à noite, pensemos calmamente, mesmo implicitamente: “Eles vão descansar nos braços de seu Pai Celestial!” ” Assim, por um contágio feliz, a esperança que habita em nós poderá se espalhar e se espalhar, mesmo sem que eles saibam, nos corações e mentes de nossos entes queridos? 

Jean-Michel Castaing, graduado em teologia pelo Instituto Católico de Toulouse

“A morte não é a última palavra”

Ficamos surpresos, pegos com o pé errado. Pensamos que a tecnologia moderna, a medicina, nos permitiria nunca morrer. Mas a morte espreitava, assustava-nos e não estávamos preparados. Temos que mostrar nossa confiança, porque acreditamos que Cristo ressuscitou e que a morte não é a última palavra, e temos que mostrá-la também em nossas vidas. 

Monsenho Michel Aupetit

Material inspirado em publicação da Revista Ozanam, da SSVP da França: https://www.ssvp.fr/

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY