Padre Emanoel Bedê compartilha o Tríduo em Honra de São Vicente de Paulo

0
1852

A semana que se inicia é dedicada a celebração de São Vicente de Paulo. Nos próximos dias também acontece o Tríduo em Honra de São Vicente de Paulo, uma série de orações que preparam os vicentinos para a festa do santo, que acontece no dia 27 de setembro.

A SSVP Brasil conversou com o Padre Emanoel Bedê, Assessor Espiritual do Conselho Nacional do Brasil (CNB), para falar sobre a importância do Tríduo de São Vicente de Paulo e sua tradição ao longo da história católico-cristã.

Segundo o Padre Emanoel, o Tríduo de São Vicente de Paulo é uma tradição que consiste em uma série de atos de piedade e sacramentais realizados ao longo de três dias consecutivos. Essa prática faz parte de um conjunto de costume que têm como objetivo preparar os fiéis para a celebração de uma festividade religiosa, neste caso, a festa em honra a São Vicente de Paulo.

“Durante o Tríduo, somos convidados a refletir sobre a vida, virtudes, feitos e obra de São Vicente de Paulo. Isso nos permite chegar ao dia da solenidade da festa de São Vicente devidamente preparados e enraizados no contexto da celebração. Essa preparação é fundamental para que possamos celebrar a verdade de forma autêntica, evitando que a festividade pareça vazia ou desprovida de significado.”, explica Emanoel. 

Assim como o Tríduo, existem outras práticas semelhantes na tradição católica, como as novenas, trezenas, procissões e a oração do terço. Todas essas atividades têm o propósito de auxiliar os fiéis a se prepararem de maneira adequada para a celebração das festividades religiosas, proporcionando uma experiência mais rica e significativa.

“O Tríduo de São Vicente de Paulo é um dos degraus que nos conduz ao ponto culminante da celebração, permitindo-nos vivenciar plenamente o espírito e o propósito da festa em honra a esse santo.”, finaliza o Padre. 

Para se preparar para a semana, confira o Tríduo em Honra de São Vicente de Paulo, compartilhado pelo Padre Emanoel:

1ª dia – Jesus Cristo, Regra da Nossa Vida

Animador: Sejam todos bem-vindos. Aqui reunidos na fé, queremos celebrar o testemunho de São Vicente de Paulo. Queremos louvar a Deus pelo seu exemplo de fé, pedir sua intercessão e renovar, a partir de seu exemplo, nossa fé em Jesus Cristo e nossa vocação de discípulos missionários a serviço dos mais necessitados. Cantando, introduzamos agora a imagem de São Vicente.

– elevação da imagem de São Vicente e Canto inicial –

I – Oração Inicial 

ANIMADOR: 

– Em nome do Pai do, Filho e Espírito Santo.

– O Senhor esteja conosco!

– Com fé e alegria, rezemos todos:

TODOS: 

Ó Pai de bondade, nós vos louvamos pelo grande testemunho de São Vicente de Paulo. Queremos, nesta oração, voltar nossa mente e nosso coração, para os exemplos e ensinamentos deste grande Santo, convertido pela vossa graça em gênio da Caridade. Seu exemplo de fé e de doação, de oração e de ação, de organização e de imaginação, de comando e de humildade, nos ilumine e nos anime a melhor seguir vosso Filho Jesus Cristo e abrasar-nos sempre no vosso amor. Amém!

II – Rezando e refletindo o testemunho e as palavras de São Vicente:

ANIMADOR: 

São Vicente de Paulo nasceu em Pouy, na França, em 24 de abril de 1581; viveu na virada dos séculos XVI e XVII, em uma época de instabilidades e transformações tanto na sociedade quanto na Igreja, um tempo de conflitos políticos e religiosos, de crescimento da miséria e de buscas de reformas na Igreja. Jovem irrequieto e inteligente, descobriu o sentido mais profundo de sua existência. Após anos de trabalhos, estudos, fracassos e buscas, viu que o sentido mais profundo da vida consiste em colocar Jesus Cristo no centro de sua existência e trabalho. Jesus Cristo é a regra da missão, é a regra da missão, é a regra de nossa vida.

LEITOR 1: 

São Vicente de Paulo descobriu que a verdadeira felicidade, a verdadeira vontade de Deus consiste em seguir seu Filho, Jesus Cristo. Dizia que “Nosso Senhor é nosso Pai, nossa mãe e nosso tudo”. “Rogo a Nosso Senhor que Ele seja a vida de nossa vida e a única aspiração de nossos corações”. “Lembre-se, padre, de que vivemos em Jesus Cristo pela morte em Jesus Cristo, e que temos de morrer em Jesus Cristo pela vida de Jesus Cristo e que nossa vida tem que estar oculta em Jesus Cristo e cheia de Jesus Cristo, e que para morrer como Jesus Cristo, tem que se viver como Jesus Cristo”.

TODOS:

 Jesus, tu és o Caminho, a Verdade e a Vida. / És o Pão da Vida, a Água Viva, o Bom Pastor. / Sejas sempre o centro da minha vida,/  a razão pela qual te busco a cada dia e a cada noite de minha vida.

LEITOR 2: 

São Vicente de Paulo experimentou Cristo como Deus presente no mundo para compartilhar a sorte dos humildes e anunciar-lhes o Reino. Dizia São Vicente: “Se perguntarmos a Nosso Senhor: O que veio fazer na terra? ‘Assistir os pobres!’ Mais alguma coisa?  ‘Assistir os pobres!’. Nada para ele era mais importante que trabalhar para os pobres. Quando ia a outros, ia de passagem”. “Não podemos garantir melhor a nossa felicidade do que vivendo e morrendo no serviço aos pobres, colocando-nos nos braços da Divina Providência e numa total renúncia de nós mesmos, para seguir a Jesus Cristo” 

TODOS: 

Jesus, tu és o Caminho, a Verdade e a Vida. / És o Pão da Vida, a Água Viva, o Bom Pastor. / Sejas sempre o centro da minha vida,/  a razão pela qual te busco a cada dia e a cada noite de minha vida.

LEITOR 1:  

São Vicente experimentou os pobres como presença do próprio Cristo entre nós. “Não devo considerar um pobre camponês ou uma pobre mulher segundo o seu exterior, nem conforme o que aparece ao alcance do seu espírito; tanto mais que, muitas vezes, quase não têm a aparência nem o espírito de pessoas racionais, tão grosseiras e terrestres que são. Mas virai a medalha e vereis, pelas luzes da fé, que o Filho de Deus, que quis ser pobre, nos é representado por estes pobres. Ó, Deus, como é belo ver os pobres, se os consideramos em Deus e na estima que por eles teve Jesus Cristo!” “Os pobres são os pobres os membros doloridos de Nosso Senhor”.  

TODOS:

Jesus, tu és o Caminho, a Verdade e a Vida. / És o Pão da Vida, a Água Viva, o Bom Pastor. / Sejas sempre o centro da minha vida, / a razão pela qual te busco a cada dia e a cada noite de minha vida.

LEITOR 2: 

São Vicente experimentou a caridade como centro de sua vida de seguimento a Cristo e assim dizia: “A caridade está acima de todas as regras e é preciso, pois, que todas as coisas a ela se relacionem. É uma grande dama, é preciso fazer o que ela ordena. Empreguemo-nos, pois, com um novo amor a servir os pobres e também procurar os mais pobres e abandonados; reconheçamos diante de Deus eles são nossos senhores e nossos patrões”(XI, 393). A caridade é o “é um amor elevado acima dos sentidos e da razão”. 

TODOS: 

Jesus, tu és o Caminho, a Verdade e a Vida. / És o Pão da Vida, a Água Viva, o Bom Pastor. / Sejas sempre o centro da minha vida,/  a razão pela qual te busco a cada dia e a cada noite de minha vida.

III – Palavra de Deus – Reflexão e compromisso pessoal;

LEITOR 3: Leitura do Evangelho de Mateus 25:31-46

ANIMADOR: 

Façamos um tempo de silêncio para reflexão pessoal e tempo para, quem desejar, partilhar sua reflexão pessoal e o seu compromisso pessoal ante a Palavra de Deus e o ensinamento de São Vicente.  

– tempo de reflexão e partilha –

IV – Oração Final 

ANIMADOR:

Somos convidados a voltar a Jesus e centrar nossa vida nele. Voltar a Jesus significa reavivar nossa relação com ele. Deixar-nos alcançar por sua pessoa. Deixar-nos seduzir não somente por seu ideal, sua missão, mas sobretudo pela pessoa de Jesus, pelo Deus vivo nele encarnado. Deixar-nos transformar pouco a pouco por este Deus apaixonado por uma vida mais digna, mais humana, mais feliz para todos, a começar pelos últimos, os mais pequenos, indefesos e excluídos”. Neste propósito, rezemos, em dois coros, o SALMO DO ABANDONO VICENTINO.

LADO 1

Senhor, amigo da vida: / Que te revelaste a nós com rosto providente

Pai de ternura e compaixão, / Filho que morreu por amor,

Espírito que incomoda e anima. / Divina Providência:

Que convocaste Vicente de Paulo, / Que nos convoca hoje

LADO 2

Deus Mãe, parceiro dos pobres / Que para nós sonhastes um projeto Vicentino: / Denunciar a opressão, a exclusão, as culturas de morte. / – Libertar da fome, do desamor, do esquecimento, / e Superar as estruturas do individualismo, / 

Do consumismo, do materialismo

LADO 1

Deus de nossa vocação, / Que sondas nosso íntimo,

Que transforma nosso vazio em potencial de caridade.

Que me olhas, me compreendes… simplesmente me amas.

Ensina-me a  acolher tua vontade / A obedecer-te / A ser fiel ao teu projeto de amor

LADO 2

Converte-me em instrumento de tua providência / em construtor de uma sociedade mais justa / em irmã e irmão privilegiado do pobre, / 

do leigo, da criança, da mulher, do prisioneiro, do retirante, do humilhado /

e cada um dos prediletos de S. Vicente.

TODOS

Deus de São Vicente,

Que teu amor, “inventivo ao infinito”,

Torne-nos resposta fiel e diária ao teu Reino de Vida.

ANIMADOR:

– O Senhor esteja conosco!

– Deus nos abençoe em nome do Pai do, Filho e Espírito Santo.

– Vamos em paz e vivamos unidos na missão e na caridade.

Canto Final


2ª dia – Com São Vicente, a Palavra e a Caridade caminhando juntas

ANIMADOR: 

Centrados em Cristo evangelizador e servidor dos pobres, a regra de nossa vida e nossa missão, São Vicente nos convida a promover um serviço integral: anunciar a Boa Nova e promover a Caridade. Diante do pobre que passa fome de Deus e de pão, somos chamados a ser missionários da Palavra e da Caridade. Nossa oração nos ajude a sermos alegres, fiéis e fecundos nesta nossa vocação vicentina.

– elevação da Bíblia e uma Cesta de Alimentos e Canto Inicial –

I – Oração Inicial 

ANIMADOR:

– Em nome do Pai do, Filho e Espírito Santo.

– O Senhor esteja conosco!

– Com fé e alegria, rezemos todos:

TODOS: 

Ó, Pai de bondade, nós vos louvamos pelo grande testemunho de São Vicente de Paulo. Queremos, nesta oração, voltar nossa mente e nosso coração, para os exemplos e ensinamentos deste grande Santo, convertido pela vossa graça em gênio da Caridade. Seu exemplo de fé e de doação, de oração e de ação, de organização e de imaginação, de comando e de humildade, nos ilumine e nos anime a melhor seguir vosso Filho Jesus Cristo e abrasar-nos sempre no vosso amor. Amém!

II – Refletindo e rezando as palavras de São Vicente:

LEITOR 1: 

São Vicente nos ensina que verdadeiro amor conjuga o amor a Deus e ao próximo, transforma o amor afetivo a Deus em efetivo no serviço aos pobres, ação e oração. Dizia São Vicente: “Há pessoas que por terem um exterior bem-composto e interior cheio de grandes sentimentos de Deus, detêm-se nisto e quando vem a hora de agir, esquecem-se de tudo. Eles se vangloriam de sua imaginação exaltada, contentam-se com os suaves colóquios que têm com Deus na oração, falam mesmo disso como anjos, mas ao sair daí, quando é hora de trabalhar para Deus, de sofrer, de se mortificar, de instruir os pobres, de ir procurar a ovelha desgarrada, de gostar que lhes falte qualquer coisa, de aceitar as doenças, ou qualquer outra desgraça, aí, falta-lhes coragem. Não nos enganemos: ´toda a nossa missão consiste em agir”. “Amemos a Deus, meus irmãos, com a força de nossos braços e com o suor de nosso rosto”. 

TODOS: 

(Rezando ou cantando) Vou amar a meu Deus, vou amar meus irmãos, com o suor e a força das mãos / Vou amar a meu Deus, vou amar meus irmãos, com o suor e a força das mãos.

LEITOR 2: 

“É preciso dar a conhecer Deus aos pobres, anunciar-lhes Jesus Cristo e dizer-lhes que está próximo o Reino dos céus e que este Reino lhes pertence”. “A Missão é um dos maiores e mais necessários bens que conheço”…” “A Evangelização dos pobres é um ofício tão importante que foi, por excelência, o ofício do Filho de Deus. A ele nós nos aplicamos como instrumentos dos quais se serve o Filho de Deus que continua a fazer no céu o que fez na terra”. “A Missão é um dos maiores e mais necessários bens que conheço”. “Acender o fogo do amor divino em todas as pessoas é continuar a missão do Filho de Deus!”… “É preciso correr para atender às necessidades de nosso próximo como se fosse para apagar um fogo.

TODOS: 

– Rezando ou cantando –

 Vou amar a meu Deus, vou amar meus irmãos, com o suor e a força das mãos / Vou amar a meu Deus, vou amar meus irmãos, com o suor e a força das mãos.

III – Palavra de Deus – Reflexão e compromisso pessoal:

LEITOR 3: Leitura do Evangelho de Lucas 4, 18-21

LEITOR 4: 

O evangelho de Lucas foi escrito depois de ter feito uma pesquisa séria junto às pessoas que testemunharam a vida de Jesus. Seu objetivo é dar base sólida à fé dos cristãos. Assim, com esse testemunho, o texto de Lucas 1,1-4; 4,14-21 leva o leitor à pregação inaugural de Jesus (4,14-21), o programa de sua ação. O texto está construído sobre Is 61,1-2; Is 58,6 e Is 35,5. (…)

O programa de Jesus é o da libertação total de todas as categorias, baseado em Lv 25,8ss. Por isso mesmo, a mensagem e a ação de Jesus são uma Boa Notícia a todos os oprimidos. Está, nesse programa, uma antecipação das Bem-aventuranças (Lc 6,20ss) e de toda a ação de Jesus, que sempre foi a favor dos pequenos, pobres e sofredores, pois a glória de Deus é a vida digna de todos. Para isso, a ação de Jesus anuncia o ano da graça para: pobres (explorados), cativos (vítimas das dívidas), cegos (enganados pela ideologia). (Frei Bruno Godofredo Glaab, ‘A Bíblia dia a dia 2022’, Paulinas).

ANIMADOR: 

Façamos um tempo de silêncio para reflexão pessoal:

– Que novas exigências enfrentamos hoje para evangelizar os pobres, com o pão e a palavra?  – Que compromissos cada um pode assumir para um serviço integral aos mais necessitados, ante a Palavra de Deus e o ensinamento de São Vicente? 

– tempo de reflexão e partilha –

IV – Oração Final 

ANIMADOR: 

Peçamos intercessão de São Vicente, para que possamos desenvolver um trabalho integral de missão e caridade, servindo os mais necessitados, em sua totalidade, em todas as dimensões de sua vida. Rezemos agora a Ladainha de São Vicente de Paulo.

– Deus Pai Criador, Tende piedade de nós!

– Deus Filho Redentor,

– Deus Espírito Santo Santificador,

– Santíssima Trindade, Comunhão de amor,

– São Vicente de Paulo, Rogai por nós!

– Modelo vivo e atual de seguimento a Cristo Evangelizador dos pobres,

– Chama ardente de vida cristã,

– Arauto da ternura e da misericórdia divina,

– Pai das crianças e conselheiro dos jovens,

– Consolador dos enfermos e alívio dos sofredores,

– Amparo dos idosos e de todos os desamparados,

– Animador e formador do clero e dos leigos,

– Inspiração para todos os cristãos,

– Todos os pobres e excluídos de nossa sociedade, Lembrai ao Senhor!

– As crianças abandonadas e oprimidas,

– Os jovens, os adultos e os idosos marginalizados,

– Os encarcerados e todas as pessoas discriminadas,

– Os desamparados e os sofredores,

– As famílias em suas lutas e em seus sofrimentos,

– As vítimas da guerra e do ódio,

– Os desempregados, os sem-terra e os famintos,

– Os injustiçados, os marginalizados e as vítimas da violência,

– Os enfermos, todos os dependentes de substâncias químicas,

– As vítimas do materialismo e da falta de fé,

– Todos os servidores do Evangelho,

– As nossas comunidades e grupos pastorais

– Toda a Família Vicentina,

– Os que lutam por um mundo justo e solidário,

– Nossos benfeitores, familiares e amigos,

– Todas as pessoas de boa vontade,

– Toda a Igreja presente e atuante no mundo inteiro,

– Toda humanidade em suas esperanças e angústias,

– São Vicente de Paulo, exemplo de fé, Rogai a Deus por nós!

– São Vicente de Paulo, modelo de esperança,

– São Vicente de Paulo, espelho de caridade e de justiça.

TODOS: 

Ó, Deus, cheio de amor e de misericórdia, por intermédio de São Vicente de Paulo, nós vos apresentamos as nossas alegrias e tristezas, as nossas esperanças e angústias. Vós que sois nosso Pai, sentido e força de nossa vida, fazei que todos nós, imitando São Vicente de Paulo, amando o que ele amou, praticando o que ele praticou, possamos nos revestir dos sentimentos e atitudes de Jesus Cristo Evangelizador dos Pobres e colaborar na construção do vosso Reino de amor, de justiça e de paz. Amém.

ANIMADOR: 

– O Senhor esteja conosco!

– Deus nos abençoe em nome do Pai do, Filho e Espírito Santo.

– Vamos em paz e vivamos unidos na missão e na caridade.

Canto Final


3ª dia – Com São Vicente, corações ardendo na caridade e pés firmes na missão com os pobres

ANIMADOR: 

Centrados em Cristo, evangelizador dos pobres e comprometidos com a evangelização integral dos mais necessitados, São Vicente nos convida de intensa oração e de práticas enraizadas na vontade de Deus, conforme os ensinamentos, atitudes e ações de Cristo. 

– elevação  de uma Vela acesa e um par de Calçados e Canto Inicial –

I – Oração Inicial 

Animador:

– Em nome do Pai do, Filho e Espírito Santo;

– O Senhor esteja conosco! 

– Com fé e alegria, rezemos todos:

I – Oração Inicial 

TODOS: 

Ó, Pai de bondade, nós vos louvamos pelo grande testemunho de São Vicente de Paulo. Queremos, nesta oração, voltar nossa mente e nosso coração, para os exemplos e ensinamentos deste grande Santo, convertido pela vossa graça em gênio da Caridade. Seu exemplo de fé e de doação, de oração e de ação, de organização e de imaginação, de comando e de humildade, nos ilumine e nos anime a melhor seguir vosso Filho Jesus Cristo e abrasar-nos sempre no vosso amor. Amém.

II –Refletindo e Rezando as palavras de São Vicente de Paulo 

LEITOR 1: 

“Procurar a glória de Deus, seu Reino, sua justiça, significa, antes de mais nada, interessar-se por uma vida interior que se manifeste na fé, na caridade, na esperança, numa atitude de entrega a Deus, tanto no trabalho, quanto no desejo de querer difundir o Reino de seu amor misericordioso”. “Dai-me uma pessoa de oração e ela será capaz de tudo”. “ A oração é o reservatório onde encontramos as orientações necessárias para desempenharmos os serviços que nos forem confiados. Quando tiverdes qualquer dúvida, recorrei a Deus e dizei-lhe: ‘Senhor, que sois o Pai das luzes, ensinai-me o que é preciso que eu faça neste momento.” “Marchemos, com segurança, no caminho real da cruz, onde Jesus será nosso guia e nosso condutor”. “Deus nunca deixa de nos socorrer em tempo oportuno, quando de nossa parte, fizermos tudo o que podíamos”. “Deus nos ilumina e nos dá força para podermos realizar nossa missão”.

TODOS: 

“Ó Salvador! Quão abençoados foram aqueles que tiveram a graça de se aproximar de ti! / Que rosto! Que mansidão, / que cordialidade mostraste a todos, para os atrair! Que confiança inspiraste a todos / os que passaram ao teu lado!” 

LEITOR 2: 

“A perfeição não consiste em êxtases, mas em fazer a vontade de Deus”. “Para tender a própria perfeição é necessário revestir-se do espírito de Jesus Cristo. Ó Salvador! Ó meus senhores! Eis uma grande tarefa, revestir-se do Espírito de Jesus Cristo! “Eis uma descrição do espírito de Nosso Senhor, de que devemos revestir-nos, qu é, em suma, ter sempre para com Deus um grande amor e uma grande estima. Dele estava tão repleto que nada fazia por si mesmo, nem para a própria satisfação: ‘Faço sempre o que lhe agrada (Jo 8,29). Faço sempre a vontade de meu Pai, faço sempre as ações e as obras que lhes são agradáveis”.

TODOS: 

“Ó Salvador! Quão abençoados foram aqueles que tiveram a graça de se aproximar de ti! / Que rosto! Que mansidão, / que cordialidade mostraste a todos, para os atrair! Que confiança inspiraste a todos / os que passaram ao teu lado!”.

III – Palavra de Deus – Reflexão e compromisso pessoal

LEITOR 3: Leitura da 1ª. Carta de São Paul aos Coríntios, 13, 1-13

LEITOR 4: 

Depoimento de Dom Hélder Câmara sobre São Vicente: “Os tempos passam e S. Vicente só faz crescer. É sempre mais modelo e inspiração. Deus lhe deu antenas para captar todos os grandes sofrimentos do seu século. Que sofrimento existiu em seu tempo, sem que ele percebesse? E o Senhor lhe deu a graça de descobrir para cada sofrimento a providência adequada. (…)

Quanta e quantas vezes me pergunto: “Que faria o querido São Vicente de Paulo, se voltasse à terra em nossos dias? Claro que Ele teria descoberto que a pobreza hoje não atinge apenas os indivíduos e as famílias. Ele constataria o escândalo de países numerosos, de continentes inteiros, mais de que em estado de pobreza, sim, em estado de miséria.  Com seu olhar aguçado, São Vicente descobriria que, se há países sempre mais ricos e países muito mais numerosos sempre mais pobres, na raiz desta distância que só faz crescer, há injustiças incríveis. E ele denunciaria as injustiças, fosse quais fossem as consequências.

Ao assistir ao filme ‘Monsieur Vincent’ guardo na mente e no coração cenas inesquecíveis. A primeira cena, apresentando o Santo sem poder dormir, acompanhando gritos angustiados da noite dos que sofrem. Uma segunda cena, o deixa ver a repulsa das grandes senhoras que ajudavam o santo, quando Ele ousou querer confiar a uma delas uma criancinha abandonada que encontrou em sua porta e que a trazia envolvida em seu manto. A criança deveria ser “filha do pecado” e as supersantas senhoras não queriam se manchar. Uma após a outra, todas se recusam a segurar a filha do amor proibido. 

Mas a cena mais bela é o diálogo entre o santo já idoso, de saúde abalada, já chegando ao fim, e Joana, a jovem noviça, a quem São Vicente já não poderia mais acompanhar. O santo fala à futura Irmã de Caridade. Suas palavras são testamentos para todos nós. Foi falando à Joana a palavra carregada de sabedoria e que eu gosto de repetir: “é preciso conquistar pelo amor o direito de dar.”. É difícil dar. Não exagero dizendo que é dificílimo dar sem humilhar, sem aparência de superioridade, de força, de prestígio, dar sem que nossa mão esquerda saiba o que fez a direita. Que o Espírito Santo derrame suas luzes sobre todos nós que lidamos com a pobreza, para que sejamos ao menos uma sombra da sombra do grande e querido São Vicente de Paulo. 

Animador: Façamos um momento de silêncio, refletindo a Palavra de Deus e os Ensinamentos de São Vicente. Que compromissos assumir em nossas vidas e trabalhos para atuar com os corações inflamados de amor a Cristo nos pobres e com os pés firmes e decididos no serviço missionário. (momento de silêncio e, se possível, de partilha)

IV – Oração Final 

TODOS: 

Senhor, vós nos chamastes para sermos seguidores de Cristo no Espírito de São Vicente de Paulo. Vossa divina Providência nos abençoou com muitos dons, que usamos na evangelização dos que vos buscam. E, por isso, cheios de confiança, vos pedimos a graça de usar todos os bens que nos destes para o serviço aos pobres no cumprimento de vossa santa vontade.

ANIMADOR: 

Aumentai nosso zelo pela missão de proclamar a Boa Nova de salvação aos mais sofridos e necessitados.

TODOS: 

Bendito sejais, Senhor!

ANIMADOR: 

Reuniu-nos todos juntos na caridade e no ardor missionário para trabalhar pela justiça e pela paz.

TODOS: 

Bendito sejais, Senhor!

ANIMADOR: 

Conservai-nos sempre mais unidos a Vós e aos irmãos pela celebração da Eucaristia e dos sacramentos.

TODOS: Bendito sejais, Senhor!

ANIMADOR: 

Inflamai nosso desejo de vos conhecer e amar pelo equilíbrio entre a ação e ação e pelo serviço fraterno aos nossos irmãos e irmãs mais necessitados.

TODOS: Bendito sejais, Senhor!

ANIMADOR: 

Protegei-nos todos juntos em vosso amor misericordioso, afervorai nossos corações e fortalecei nossos passos no caminho de serviço caritativo e missionário.

Todos: Bendito sejais, Senhor!

ANIMADOR: 

Revesti nossos corações e passos dos sentimentos, atitudes e práticas de  Jesus para bem servir os pobres, com humildade, simplicidade, mansidão, mortificação e zelo.

Todos: Bendito sejais, Senhor!

TODOS: 

Deus Pai, abençoai nossas vidas e trabalhos. Conservai-nos unidos e fervorosos no seguimento de Jesus. Nada que fazemos comece sem vossa guia providencial, nada termine sem que vos rendamos graças, ó, Deus, que nos amais e nos protegeis agora e para sempre.

ANIMADOR: 

– O Senhor esteja conosco! 

– Deus nos abençoe em nome do Pai do, Filho e Espírito Santo.

– Vamos em paz e vivamos unidos na missão e na caridade.

Canto Final


“Vivei de uma vida toda nova e toda divina em Jesus Cristo Ressuscitado. Pedi-lhe esta graça para todos nós, a fim de que busquemos e aspiremos, sem cessar, as coisas do alto e para lá caminhemos, com as obras e nossa vocação, para atrair muitos outros para o Céu.” 

– São Vicente de Paulo

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY