Guerra da Ucrânia preocupa SSVP Internacional e CNB

0
782

A Guerra na Ucrânia chega no seu 10º mês. Iniciada com o envio de tropas russas ao país em 24 de fevereiro desse ano, até o dia de apuração dessa matéria, o conflito já registra no mínimo 41.295 óbitos, mais de 15 mil pessoas desaparecida e mais de 16 milhões realocadas, segundo a ONU. O Conselho Geral Internacional e o Conselho Nacional do Brasil da SSVP estão atentos às necessidades dos refugiados e fazendo ações para ajudar.

O conflito parece não dar trégua e, quem sofre, são os milhões de refugiados e famílias que fogem do país em busca de ajuda e apoio para sobreviverem aos horrores da guerra. “Acompanhamos, com tristeza, o conflito bélico na Ucrânia. Desde então, a humanidade tem buscado encontrar a paz para a situação, sem sucesso”, lamenta o 16º Presidente-geral Internacional, Renato Lima de Oliveira.

O Papa Francisco, assim como diversos outros líderes mundiais, vem incentivando os responsáveis a encontrarem uma solução urgente, apelando para o cessar-fogo e às negociações. A Família Vicentina, logo no início da crise, também se manifestou contrariamente, publicando uma declaração contundente, com a assinatura dos principais líderes.

“A Sociedade de São Vicente de Paulo na Ucrânia possui poucas Conferências no país, apenas cinco, e o Conselho Nacional está desativado desde 2012, dificultando as comunicações e a operação em solo. Contudo, o Conselho Geral Internacional tem se esforçado para reorganizar a atividade vicentina, apoiando as Conferências em funcionamento”, explica o confrade Renato.

Recentemente, em busca de levar mais auxílio àqueles que fogem da guerra, o Conselho Geral Internacional assinou um acordo de cooperação com a Depaul International, grupo internacional de instituições de caridade que trabalha principalmente para pessoas sem-teto. A sede internacional fica na Inglaterra, mas o grupo possui uma subsidiária na Ucrânia, além de trabalhar com a Família Vicentina Internacional (Famvin). Com o repasse de recursos mensais, 200 pessoas carentes vão receber até três refeições diárias na cidade de Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia, que vem sofrendo ataques recorrentes da Rússia.

Diário da guerra

Nos dias 7 e 8 de dezembro, o confrade Renato Lima de Oliveira, se reuniu com uma delegação de consócias da Ucrânia e compartilhou com elas  relatos do que vem ocorrendo nas cidades atacadas pelas tropas russas. ”A delegação se encontrou com a gente na Hungria. A viagem foi uma verdadeira saga e bastante cansativa. Elas representam as Conferências de Lviv, Kiev e Kharkiv. Durante a reunião, elas relataram os horrores da guerra e as dificuldades impostas pela falta de liberdade”, relembra o  16º Presidente-geral Internacional, Renato Lima de Oliveira.

Para saber mais sobre o relato das ucranianas, confira a matéria do site do Conselho Geral Internacional.

Segundo o Presidente-geral, entre abril e maio de 2023, ele visitará o país onde terá reuniões com os confrades e consócias ucranianos, coletando relatos e definindo iniciativas para ajudar as famílias que fogem da guerra. 

Coleta Especial para ajudar à Ucrânia

O Conselho Nacional do Brasil também está trabalhando para levar ajuda as famílias refugiadas. O CNB está organizando entre as Conferências a Coleta Especial para ajudar à Ucrânia. A coleta está sendo realizada nas Unidades Vicentinas até o dia 31 de dezembro de 2022. Os vicentinos devem ajudar da forma como puder.

“Esse será um momento grandioso de partilha, de demonstração de caridade, de gratidão, em que cada vicentino do nosso país, contribui com o que pode, especialmente para ajudar essa ação do Conselho Geral Internacional. Lembremos, ainda, que já é Natal, novamente, graças a Deus. E o verdadeiro espírito desse tempo é a vivência e a prática da solidariedade, da partilha, do amor e da paz. É alimentar a esperança de que a fome no mundo vai passar e essa guerra vai cessar”, reflete o Presidente do Conselho Nacional do Brasil, confrade Márcio da Silva.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY