Finados: a vida que vence a morte

0
387

Para refletir sobre o Dia de Finados, a SSVP Brasil convidou o Padre Eli Chaves, Missionário Vicentino e Visitador da Província Brasileira da Congregação da Missão, para refletir sobre o significado da data. Confira!

Um dia após a celebração de Todos os Santos, a festa dos que já se salvaram e alcançaram a plenitude da vida eterna, a liturgia cristã celebra o Dia de Finados, rezando e recordando todos os que já faleceram. Em nossos corações, povoam sentimentos de vida e morte, de dor e saudade, de fé e esperança.

O Dia de Finados nos coloca diante da dura e inevitável verdade: muitos familiares, amigos e conhecidos morreram, todos os seres humanos morrerão e também morreremos. Embora todos queiramos viver, muito e felizes, ninguém escapará da morte. Esta realidade, que amedronta, inquieta, faz sofrer e pode até levar muitos ao desespero, é por nós cristãos acolhida na fé e na esperança. É acolhida na luz do mistério de Cristo, o Filho de Deus que manifestou a infinita misericórdia de Deus Pai, que revelou o sentido pleno do humano, que morreu por nós e ressuscitou para que tivéssemos a vida eterna, na plenitude do amor.

Celebrado no mistério de Cristo morto e ressuscitado, o Dia de Finados afirma o ‘fim” da existência histórica das pessoas aqui na terra, mas um fim que se abre ao “início” de uma vida nova para além da morte. Nós cremos na vida eterna… em Jesus Cristo, se revelou o verdadeiro sentido da vida, no qual encontramos o sentido da morte; no Verbo encarnado, morto e ressuscitado, Deus mostrou que “Ele criou todas as coisas para existirem… e a morte não reina sobre a terra, porque a justiça é imortal” (Sb 1, 13-15). Em Cristo Ressuscitado, fomos definitivamente libertos de todos os nossos limites e pecados e podemos dizer com São Paulo: “Ó, morte onde está sua vitória? Morte, onde está o seu aguilhão?” (1Cor 15,55); “Para mim o viver é Cristo e o morrer é um lucro… Tenho o desejo de ser libertado e estar com Cristo” (Fl 1, 21.23).

Celebrando com respeito e saudade os falecidos, agradecendo o dom de suas vidas e rezando pelo seu descanso eterno, os cristãos celebram o dom da vida, cujo sentido está escondido em Cristo (Cl 3.1-4). O cristão, como todo ser humano, experimenta medo e dor diante da morte, mas entende e crê que a morte não é o fim de tudo. Cristo veio para nos dar vida, e vida em abundância (Jo 10,10); na fé cristã temos a certeza de que, vivendo nos passos de Cristo, com a morte continuaremos vivendo em Deus, com uma vida nova, transformada na plenitude do amor. 

No Dia de Finados, bate forte a dor e a saudade de nossos falecidos, Mas, com os olhos e corações fixos em Cristo, Senhor da Vida, bate mais forte a fé e a esperança da vida nova e plena: “Esta é a vontade do meu Pai: que todo homem que vê o Filho e nele acredita, tenha a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6, 40). Diante da morte que continua sempre a nos incomodar, bate mais forte o compromisso de enfrentar os desafios da vida e orientar nosso caminhar em Cristo, caminho, verdade e vida: “Coragem, eu venci o mundo” (Jo 16,33); “Enquanto temos tempo, façamos o bem a todos” (Gl 6, 10).

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY