CNB ajuda Lar de Idoso com dificuldades financeiras em Minas

0
534

Dentro da política do Conselho Nacional do Brasil de amparar as Obras Unidas espalhadas no Brasil, o Abrigo São Vicente de Paulo, que cuida de dez idosos em Palma/MG recebeu R$ 10 mil em março para enfrentar a crise financeira que estava passando devido à pandemia da Covid—19.

Segundo o confrade Wallace Barbosa de Paula, integrante da diretoria da instituição, a Obra Unida sofreu muito com a pandemia da Covid-19, vendo sua arrecadação e doações caírem, entrando em uma situação financeira “delicada”. “Como é sabido, sobrevivemos de doações da comunidade e da contribuição dos próprios idosos. Com a Covid essas doações financeiras da comunidade caíram bastante e ainda alguns idosos de nossa instituição faleceram por outras causas. Com isso, vimos a receita diminuir e os gastos aumentarem, até por conta das adequações aos protocolos sanitários e outras intercorrências, que são normais no nosso dia a dia. Tivemos, por exemplo, o pagamento de uma acompanhante para uma idosa, que ficou 30 dias internada e precisou desse tipo de serviço”, explica.

Tendo em vista esta difícil situação, os responsáveis pelo Abrigo São Vicente de Paulo procuraram ajuda com o Conselho Metropolitano de Juiz de Fora e com o Conselho Nacional do Brasil. A ajuda do Conselho Metropolitano veio por meio de um empréstimo no valor de R$ 10 mil. Já o socorro do CNB veio com a doação de outros R$ 10 mil, em 29 de março. “Usamos o dinheiro para pagar credores no comércio, como alimentos, fraldas, medicamentos, que estavam com pagamentos atrasados. Se não fosse essa ajuda, estaríamos em uma situação muito difícil, com bastante endividados. Não conseguiríamos pagar esses credores, não conseguiríamos honrar o compromisso com os nossos funcionários, as dívidas cresceriam. Seria impossível manter as obrigações em dia. Hoje, graças a Deus e esta ajuda, tudo caminha normalmente. Tivemos o ingresso de novos idosos, vamos fazer uma campanha com prêmios para aumentar a arrecadação e assim, além de manter a instituição, pagar o empréstimo feito com o Conselho Metropolitano”, conta.

Para o presidente do CNB, confrade Márcio José da Silva, vir em socorro às Obras Unidas é uma obrigação. “As Obras Unidas são um importante braço da Sociedade São Vicente de Paulo, elas acolhem, cuidam amorosamente daqueles que mais precisam, neste caso, de idosos. Não podemos ver uma instituição como a de Palma, que neste ano completa 73 anos de atividade, passar por uma situação difícil e cruzar os braços. O CNB tem o dever de ajudar e assim o faz, não só neste caso. Precisamos ir ao encontro do Pobre, através dos Projetos Sociais, Missões e outras ações. E isso inclui o auxílio as mais de 600 Obras Unidas que temos espalhadas pelo país”, afirma o presidente.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY