Morte de idoso no Acre redobra alerta nos Lares da SSVP

0
2860
Imagem de internet. Fachada do Lar em Rio Branco

O novo Coronavírus chegou oficialmente aos Lares da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) no Brasil. A primeira vítima com o diagnóstico confirmado para a doença em uma Obra Unida é Andre Avelino, de 82 anos. Ele residia no Lar Vicentino, em Rio Branco, e morreu no sábado (11). André entra para as estatísticas como a terceira morte por Covid-19 no Acre.

O Conselho Nacional do Brasil (CNB/SSVP) só foi informado do ocorrido na noite de ontem (13). A equipe de advogados que integra o Departamento de Normatização e Orientação (Denor) imediatamente fez contato com o Conselho Metropolitano de Belém, Unidade administrativa que gerencia os trabalhos vicentinos no Acre.

A principal preocupação neste momento é verificar se todas as medidas necessárias para a prevenção do Covid-19 foram adotadas e se a morte poderia ser evitada caso todas as recomendações feitas pelo Conselho Nacional do Brasil tivessem sido seguidas à risca. Desde o início da pandemia, a SSVP divulgou uma série de medidas, tratativas e Circulares orientando a conduta das lideranças vicentinas na prevenção ao novo Coronavírus, principalmente, dentro dos Lares de Idosos. 

Uma das orientações  da SSVP é que todos os funcionários que pertençam ao grupo de risco ou manifestem algum sintoma da doença sejam imediatamente afastados das atividades. No Lar do Acre, o idoso morto teria contraído a doença de uma técnica de enfermagem que teve o diagnóstico confirmado de Covid-19 na quarta-feira passada. André permaneceu no Lar até morrer no sábado. O exame que comprovou a causa da morte saiu na noite de domingo.

O advogado Antônio Fachini Júnior, membro do Denor nacional, diz que o momento agora exige às lideranças vicentinas do Acre que solicitem à Secretaria de Saúde providências para levantar eventuais contaminações dentro da Obra, bem como, que sejam adotas medidas urgentes para evitar o surgimento de novos casos. Moram na instituição mais de 50 idosos. O Ministério Público também deve ser informado sobre o fato.

PREVENÇÃO

Fachini reforça que os Lares da SSVP precisam cumprir todas as normas exigidas pela Organização Mundial de Saúde e pelas Secretarias de Saúde. Ele ainda aconselha que sejam buscadas soluções para os funcionários de Lares que exerçam atividades duplas, ou seja, trabalham concomitantemente em hospitais ou outras áreas de saúde, por meio da concessão ou antecipação de férias. “Estes profissionais estão muito susceptíveis ao vírus, e precisamos evitar que eles o transmitam aos nossos idosos”, alerta.

O advogado enfatiza que neste momento todo o cuidado precisa ser tomado. “Não podemos trabalhar com o público de alto risco com irresponsabilidade. Se descumprirmos as orientações que nos são dadas para a prevenção, as consequências podem ser um elevado índice de mortalidade dentro de nossas Obras”.  

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY