Mais de 70 pacientes já recorreram ao Rede de Afeto

0
711

Em junho deste ano, a Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) no Brasil iniciava um trabalho inédito de apoio psicológico/terapêutico a vicentinos e funcionários de Unidades da instituição. O projeto Rede de afeto: gente cuidando da gente reúne equipe de psicólogos que oferecem atendimento gratuito aos interessados. Passados pouco mais de dois meses do início das atividades, a equipe gestora faz um balanço positivo da iniciativa.

Até agora, 75 pessoas já receberam atendimento. No início, quem mais procurava o serviço eram os confrades e as consócias. Agora, a demanda de funcionários, principalmente de Obras Unidas, tem crescido. A identidade de todos os pacientes é mantida em total sigilo.

A consócia e psicóloga Ada Ferreira é membro da equipe gestora, ao lado de Adriana Santana, Ester Ireno, Dayse Hespanhol e Orlando Inácio. Ela conta que integram a equipe 25 psicólogos, todos com cadastros no e-Psi para oferecerem atendimento psicológico por meio de tecnologias digitais, tendo em vista que todas as sessões são on-line.

Quando um confrade, consócia e funcionário (a) de Unidade Vicentina passa por um momento de tristeza profunda ou ansiedade, por exemplo, ele pode recorrer ao projeto. Basta mandar mensagem ao número (32) 9 8514-4131 ou e-mail [email protected], que um voluntário retorna o contato, encaminhando o paciente a um dos psicólogos participantes.

Cada paciente pode ter entre três a cinco sessões de terapia. Após este prazo, se não houver melhoras no quadro dele, os integrantes fazem o encaminhamento ao tipo de serviço mais indicado para aquele caso.

O Rede de Afeto começou em resposta aos efeitos negativos provocados pela pandemia do novo Coronavírus na saúde psíquica. “A gente atende muitos casos de ansiedade, depressão e pânico. São pessoas que sempre cuidaram de outras (a exemplo dos vicentinos que cuidam dos assistidos e funcionários de Obras que cuidam dos idosos) e, que neste momento, precisam de cuidado; precisam de alguém que os escute. E nós estamos aí para isso”, destaca Ada Ferreira.

Segundo a psicóloga, o Rede de Afeto tem, inclusive, despertado o cuidado em novos aspectos. Ela cita que, inspirados nos projetos, vicentinos vêm cuidando uns dos outros, por meio de ligações telefônicas e mensagens, demonstrando preocupação e carinho.

Há vagas para pacientes e psicólogos

O projeto continua oferecendo atendimento. As pessoas que sentirem a necessidade devem procurar a ajuda. A equipe tem se esforçado para atender todas as demandas o mais rápido possível. Também podem procurá-la aqueles psicólogos com registros para atendimento on-line que queiram contribuir no projeto, principalmente da Região V (Conselhos Metropolitanos de Brasília, Anápolis, Goiânia, Uberaba e Patos de Minas) e Região VII (Conselhos Metropolitanos de Belém, Teresina e Fortaleza). O número de contato é o mesmo dos atendimentos.

NOVAS FRENTES DE TRABALHO

Além das sessões de terapia gratuitas, os psicólogos envolvidos no projeto têm participado de reuniões em parceria com o Departamento Nacional de Normatização e Orientação (Denor) junto às Instituições de Longa Permanência (ILPIs), que são os Lares de Idosos. “O nosso papel é o de dar fala aos membros das diretorias e funcionários para que eles possam expressar o que sentem”, comenta Ada.

Uma das etapas deste trabalho vem sendo em apoio ao enfrentamento do luto provocado pelas mortes de idosos e familiares em decorrência da Covid-19.

O Rede de Afeto também oferece arte e cultura. Mensalmente, são promovidos Saraus, onde os participantes cantam, tocam instrumento ou declamam uma poesia. Em agosto, ele será no próximo domingo (30), a partir das 17h, com o tema ‘Vocações’. Para saber como participar, acompanhe as redes oficiais da SSVP que, em breve, estas informações vão ser divulgadas.           

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY