Conhecendo o Conselho Geral: O trabalho fundamental da Vice-presidência Internacional de Juventude, Crianças e Adolescentes

0
758
Confrades Willian Alves e Renato Lima. Crédito: Divulgação SSVP Global.

Confrade Renato Lima de Oliveira (*)

Um dos assuntos aos quais eu mais gosto de escrever é sobre a juventude da Sociedade de São Vicente de Paulo. No âmbito do Conselho Geral Internacional (CGI), do qual tenho a honra de ser o 16º Presidente-geral, afirmo e repito que o jovem tem voz, tem vez e tem protagonismo. A Vice-presidência Internacional de Juventude, Crianças e Adolescentes é a uma realidade que vem se consolidando e produzindo inúmeros frutos, conduzida pelo confrade brasileiro Willian Alves.

Estabelecemos o dia 4 de julho como “Dia Internacional do Jovem da SSVP”, para honrar a memória do bem-aventurado Pedro Jorge Frassati, jovem vicentino italiano que faleceu com 24 anos, ao ficar doente após visitar famílias carentes. Também criamos uma “coleta especial para a juventude” a ser feita também no mesmo dia. Anualmente, o confrade Willian escreve uma mensagem dirigida especialmente aos jovens por ocasião da celebração do dia 4 de julho.

Em 2018, em Salamanca (Espanha), o Conselho Geral realizou o 2º Encontro Internacional da Juventude da SSVP (em 2024, se Deus nos permitir, promoveremos o 3º Encontro), e demos um passo a mais para incrementar o trabalho da Vice-presidência Internacional de Juventude. Na ocasião, demos posse a 12 novos integrantes da equipe internacional que auxiliará o Conselho Geral na definição das estratégias relacionadas aos jovens.

Temos realizado, também, videoconferências e encontros de formação online para debater a questão do jovem inserido nas Conferências e nos Conselhos. Além disso, temos elaborado manuais e palestras enfatizando a importância do movimento da juventude vicentina (do qual eu mesmo, em 1986, ingressei). A Vice-presidência está realizando um censo para saber qual é o percentual de jovens na SSVP. Um concurso para a escolha da letra do hino “Os Sete Fundadores” em inglês, italiano e francês também está a cargo dessa Vice-presidência. O Planejamento Estratégico do Conselho Geral prevê, no Item 3, que trata da juventude, a meta audaciosa de termos jovens na proporção de, pelo menos, 30% dos membros em todos os países.

Para atrair o jovem para a SSVP, há várias estratégias que podemos empreender. Contudo, a melhor delas é falar sobre Ozanam para a juventude, nos colégios, nas universidades, nos grupos paroquiais de jovens e junto aos crismandos. Afinal, Ozanam viveu a vida plenamente: estudos acadêmicos, amizades sinceras, namoro e casamento, mercado de trabalho, família, vida eclesial, presença na SSVP, atuação social etc.

O 4º Presidente-geral, Antonin Pagès, assim escreveu na Carta-Circular de 1899, a respeito da fundação de Conferências vicentinas em colégios e universidades: “Não se pode negar a feliz influência exercida pelas Conferências sobre os alunos que delas fazem parte. Todos concordam em reconhecer quanto a SSVP é um elemento precioso na grande obra da educação, quanto contribui para o progresso da fé, para a salvaguarda dos costumes, para a formação do caráter e também para a retidão do juízo. Essas Conferências darão ainda todos os frutos que estamos a esperar. O aperfeiçoamento de um vicentino na prática da caridade depende, muitas vezes, do acerto de sua iniciação e do cuidado que houve em dirigir os seus primeiros passos”.

Falar de Ozanam para a juventude é fundamental. Ele é o nosso referencial e “modelo possível” de viver a santidade! Esse é o protagonismo do jovem vicentino: ser devoto e ser espelho de Ozanam, praticando a caridade para a construção de um mundo melhor. A ideia que o nosso querido confrade Ozanam tinha para a juventude pode ser retirada das atas do Conselho Geral de 1/02/1836 e 19/03/1848, quando ele dizia: “Se os jovens que chegam à Conferência acham útil encontrar amigos e irmãos, é essencial que a SSVP recrute seus membros entre os jovens. A SSVP não deve envelhecer à medida que seus fundadores envelhecem, para que a caridade não se torne uma prática rotineira. A juventude é útil por sua audácia, até por sua imprudência, pelas novas ideias que traz, pelos trabalhos em que podem pensar e nunca pensaram”.

A SSVP precisa muito dos jovens, e precisa de verdade! A Sociedade foi fundada por jovens! O que afirmo é a minha crença mais profunda: o jovem é a renovação da Sociedade de São Vicente de Paulo. As ideias, as propostas e as inquietações do jovem vicentino devem ser acolhidas pelos Conselhos e pelas Conferências como “um verdadeiro presente de Deus” para a melhoria da prática vicentina da caridade e da ação efetiva (e eficiente).

O jovem vem para somar com sua criatividade e inovação, e nós precisamos da generosidade do jovem para aperfeiçoar as atividades, os programas, os projetos e as iniciativas adotadas pelos Conselhos. O papa São João Paulo II já dizia, certa vez: “Precisamos de santos sem véu ou batina. Precisamos de santos de calças jeans e tênis. Precisamos de santos que vão ao cinema, ouvem música, bebem Coca-Cola e passeiam com os amigos”.

Para finalizar, vale a pena ler e meditar a seguinte afirmação do 3º Presidente-geral, Adophe Baudon, na Carta-Circular de 1851, sobre a necessidade urgente da presença de jovens nas nossas Conferências: “Em algumas cidades, especialmente naquelas que possuem muitos estudantes, lastima-se, frequentemente, que as Conferências, fundadas para o bem da mocidade e para conservá-la, pela caridade, nos laços tão suaves da religião, tenham em seu seio tão poucos jovens ou mesmo nenhum. Indubitavelmente, as Conferências criadas em colégios são seguros viveiros para a SSVP, e convém aproveitar essa seiva vigorosa que todos os anos elas nos podem trazer”.

 (*) 16º Presidente-geral da SSVP

Crédito: Texto publicado na Tribuna Vicentina, do Conselho Metropolitano de Maceió na edição de novembro

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY