Confrade Márcio toma posse como presidente do CNB

0
776
Confrade Márcio fica à frente do CNB até 2026

Dia 9 de janeiro de 2022. Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro. A história do Conselho Nacional do Brasil (CNB) começa um novo capítulo. O presidente, confrade Márcio José da Silva, e a nova diretoria tomaram posse para cumprir o mandato de quatro anos. Em uma cerimônia que reuniu centenas de vicentinos, com todos os protocolos de saúde, o novo presidente assegurou seu compromisso com a SSVP e os Pobres.

A cerimônia de posse foi precedida por uma missa, celebrada pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Paulo Romão.

Missa abriu a programação da posse da nova diretoria do CNB

A mesa de autoridades foi formada pelo representante do CGI e presidente da sessão, confrade Júlio César Marques de Lima (vice-presidente territorial para região América 3), o presidente que finalizava seu mandato, confrade Cristian Reis da Luz, o assessor espiritual Padre Emanoel Bedê Bertunes, o padre Gilmar, o presidente do CM de Olinda e Recife, confrade Ivaldo de Moura, a consócia e secretária do CNB, Leni do Carmo, que fez a ata, e o bispo Dom Paulo Romão. O novo presidente chegou à cerimônia e fez sua entrada ao lado de sua mãe, Cleide Miranda.

O confrade Cristian falou em seu discurso de despedida sobre os desafios frente ao CNB e, em um discurso emocionado, agradeceu a todos que contribuíram em sua gestão: família, CGI, CMs, sua diretoria e aos vicentinos de maneira geral, que sempre fizeram orações por sua diretoria e seu trabalho. Ele lembrou de alguns feitos de sua administração, como os Projetos Sociais, o programa Todos Somos Um, a Rede de Caridade e a Rede de Afeto. “Sabemos dos desafios que nosso país enfrenta e a SSVP, através de seus membros, deve ser sinal de graça, sinal de esperança para muitas vidas e, por isso, peço a cada vicentino: continuem firmes e perseverantes na caminhada. Os Pobres clamam por justiça”, afirmou.

O ex-presidente também deixou um recado especial ao confrade Márcio, que foi seu coordenador do Denor, sua diretoria e Conselho Fiscal: “sigam com os pés firmes, os pés missionários de um Sim para a SSVP e para os Pobres. Contem nos próximos quatro anos com minha oração diária pela vida e o trabalho de vocês”, disse.

O presidente territorial para a região América 3, do CGI, confrade Júlio, falou em nome do Conselho Internacional e destacou a importância do Brasil no contexto mundial da SSVP. “O movimento vicentino internacional necessita muito do Brasil. Continuamos contando com a presença dos brasileiros nessa missão dos vicentinos de ajudar os mais Pobres. O vicentino brasileiro é dedicado, trabalhador e, acima de tudo, criativo. E nós precisamos dessa experiência do Brasil para também desenvolver a Sociedade em outras partes do mundo. O Brasil tem muito a ensinar e as portas estão abertas para que o Brasil possa participar desse desenvolvimento da Sociedade em nível internacional para servir melhor aos Pobres em todas as partes do mundo”, falou.

Confrades Júlio e Cristian discursaram na posse do novo presidente

Antes de apresentar a nova diretoria, o presidente Márcio destacou as características dos membros e a definiu como “uma diretoria comprometida e servidora, que vai estar na base trabalhando no dia-a-dia”. O confrade ainda agradeceu e elogiou a antiga diretoria e, pedindo licença aos demais presidentes, afirmou: “Hoje deixa a presidência do Conselho Nacional do Brasil um dos melhores presidentes que a gente já teve. Um presidente compromissado, amigo e que tem muito zelo pelas coisas dos nossos Mestres e Senhores. Um presidente que deu a cara a tapa para defender a SSVP e vamos fazer de tudo para continuar esse trabalho”, avaliou.

Um a um os novos diretores foram sendo chamados e apresentados aos vicentinos. O presidente Márcio destacou a participação das mulheres em sua diretoria, que somam 32 entre os 68 membros.

Nova diretoria é apresentada oficialmente em solenidade

O confrade Márcio abriu seu discurso afirmando: “A maior dúvida que existe em relação ao nosso mandato é o medo de que a organização seja demasiadamente burocratizada. Eu acho importante deixar claro que eu venho do Denor, mas, acima de tudo sou vicentino. Que a preocupação é fazer o certo, sempre pautado no respeito, amor, caridade, compromisso e no zelo. Um novo presidente, uma nova diretoria significa mudança, esperança, novidade.”

O presidente seguiu falando da importância da Vocação Vicentina. “Embora toda importância, necessidade e beleza do trabalho voluntário que podemos desenvolver em outras frentes, tenhamos conosco o firme propósito e entendimento de que como Vicentinos realizamos um trabalho ‘vocacional’, damos vida, vez e voz à um chamado de Deus para testemunhar o amor caridade junto dos mais Pobres, nossa vocação é seguir os passos de São Vicente de Paulo, Santa Luísa de Marillac, Beato Ozanam e tantos outros santos da Caridade, na busca através da nossa vocação caritativa de nossa santidade diante de Deus. Precisamos compreender que “vocação” na caminhada de fé se define como um “chamado de Deus”, quando este chamado é para amar e servir os mais Pobres onde estiverem, amenizando seus sofrimentos, socorrendo suas necessidades e servindo-os na esperança. Ao olharmos para São Vicente de Paulo e o seu testemunho de vida na resposta que deu à sua vocação, seu chamado de Deus, temos então o que podemos definir como Vocação Vicentina, chamado a amar e servir os mais Pobres (…). A vocação exige de nós não apenas ouvir o chamado e dizer “Sim” àquilo que nos desafia, mas compreender que viver como um vocacionado exigirá de nós disponibilidade o tempo todo, amar incondicionalmente o que nos propomos fazer, renunciar muitas vezes nossas vontades e necessidades próprias, testemunhar com palavras, atitudes e ações a vocação acolhida sem esperar nada em troca, seja como paga, recompensa ou reconhecimento. Tudo fazer no silêncio e entrega de quem está fazendo por Deus, para Deus e com Deus, confiando na Providência Divina”, defendeu.

Confrade Márcio ainda falou sobre o lema de sua gestão: SER VICENTINO UMA VOCAÇÃO: Vivida na Conferência e Junto aos Pobres. “A ideia central é lembrar algo crucial na nossa vida de vicentinos: primeiro, que somos VOCACIONADOS, não meros voluntários”, explicou.

Após assinar o termo de posse, o confrade Márcio posou para fotos oficiais e recebeu os cumprimentos dos presentes.

Confrade Márcio assina o termo de posse

Ao longo desta semana, o site trará ainda uma entrevista com o presidente Márcio, que falará mais sobre o lema de sua gestão, as expectativas e desafios.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY