Comitiva do CGI se emociona com o Brasil

0
140

Representantes do Conselho Geral Internacional (CGI) estiveram no Brasil na última semana de fevereiro e no primeiro final de semana de março para realizar sua reunião trimestral, na sede do Conselho Nacional do Brasil (CNB). Durante a visita, a comitiva, encabeçada pelo 17º Presidente-Geral, confrade Juan Manuel Buergo Gomez, ainda conheceu o Projeto Banho Solidário, em Juiz de Fora/MG, a Vila Vicentina em Lorena/SP e participou dos três dias da Romaria em Aparecida/SP. O resultado? Na palavra do próprio Presidente-Geral: pura emoção!

Estiveram em solo brasileiro, além do confrade Juan, os confrades Ralph Middlecamp (Vice-Presidente Geral), Alfons ten Velde (Tesoureiro Geral), Sebastián Gramajo (1ºVice-Presidente Adjunto),Urbanus Muthai Kinuthia (2º Vice-Presidente Adjunto), John Berry (Presidente do Conselho Nacional dos Estados Unidos), Paulo Cavaleri (Diretor Executivo do CGI), as consócias Elaine Heyworth (3ª Vice-Presidente Geral e Presidente do Conselho Nacional da Inglaterra e Gales), Luz Maria Ramirez González (Vice-Presidente Internacional para Formação e Treinamento), Isabel Garzo Renata Moreira (Assistente do Presidente-Geral), Renata Moreira (Comunicação do CGI), e o Padre Jose Orozco (Assessor Espiritual do CGI).

A visita ao Banho Solidário foi um momento muito especial. O projeto foi desenvolvido pelo Conselho Central Santo Antônio, com parte dos recursos doada pelo CGI. Na época da aprovação do projeto, o confrade Ralf fazia parte da comissão que aprovava os recursos do CGI a outros países. Então, ele pode conferir que o “sim” dele e de seus colegas realizou há cerca de cinco anos. “Ver com os próprios olhos é muito melhor do que ler o relatório depois. Essa é realmente a maneira que queremos usar nosso Fundo da Solidariedade. Ajudar nas catástrofes é importante, mas fazer a mudança sistêmica na vida das pessoas é essencial. Estou muito feliz e vou contar a todos os membros que faziam parte da comissão o quão importante o projeto é”, disse.

A emoção tomou conta do Vice-Presidente quando ele conheceu Carla da Silva de Souza, de 31 anos, que foi a inspiração do Banho Solidário. Na época, ela estava em situação de rua e pedia um espaço para ter sua higiene. “Eu vivi muito tempo na rua e ali tomava meu banho, de caneca. Me sinto muito feliz por ter dado a ideia e eles terem me ajudado e ajudado os outros. Sou agradecida demais”, conta. 

Outro espaço visitado pela comitiva foi a Obra Unida Vila Vicentina, em Lorena/SP. Lá eles conheceram as instalações, almoçaram com os moradores e se encantaram com as histórias que descobriam. Padre Jose foi um dos que mais conversou com os idosos. Seu encantamento era visível. “Gosto de ver como pequenos gestos podem transformar realidades e às vezes não vemos isso. Gostei muito de ver o tratamento humano que esses idosos recebem. Conhecer a história dessas pessoas é algo que move o coração, porque sabemos suas vidas, seus esforços. Isso me encheu de alegria”, definiu.

A visita da comitiva foi encerrada com chave de ouro, com seus integrantes participando ativamente da Romaria. Eles rezaram o terço, fizeram a Via Sacra, conduziram os andores na Festa Regulamentar. “Estou muito emocionado. Fiquei impressionado. Chorei várias vezes. Estou muito contente de ter vindo. Tudo me impressionou. O Banho Solidário me impressionou pela recuperação da dignidade das pessoas em situação de rua. Ele precisa ser divulgado para o mundo, que precisa conhecer a força dos vicentinos no Brasil e tudo o que se pode fazem pelos Pobres. Eu levo do Brasil muita emoção. Dizem que quando voltamos para casa, a alma demora uns dias para voltar, a minha vai demorar muito tempo para voltar. Fica um pouco de mim aqui. O CGI está à disposição completa do Brasil. Quero fazer no ano que vem o Dia Internacional do Vicentino aqui no Brasil. É uma coisa nova do programa presidencial e queremos que, através da arte e da cultura, reflita no mundo que a SSVP é  uma verdadeira igreja e que levamos a palavra de Deus. Queremos que venha gente do mundo todo e que sintam o que eu senti. O Brasil e os vicentinos brasileiros têm todo o meu apoio”, contou o confrade Juan. 

Para o Brasil, receber o CGI foi um momento especial. “Isso estreita os nossos laços, mostra a nossa realidade, destaca o protagonismo dos vicentinos do Brasil. Foram dias de muita troca e de aprendizado. A realidade que temos aqui é diferente da maioria das que eles vivem em seus países, então, mostrar o que estamos fazendo pelos nossos Mestres e Senhores ao vivo é muito importante. Vamos colher bons frutos desta visita, tenho certeza”, avaliou o presidente do CNB, confrade Márcio José da Silva. 

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY