Seis curiosidades de Amélie: a MULHER de Ozanam

0
1578
Amélie e a filha Marie

Junto à caminhada de fé e caridade do confrade Antônio Frederico Ozanam (principal fundador da SSVP) tinha uma mulher muito importante na vida dele. Amélie Ozanam foi esposa, mãe, amiga, incentivadora, enfim, uma companheira disposta a amar e cuidar da família que construiu.

Ozanam e Amélie se casaram em 1841. Eles ficaram juntos por 12 anos, até a morte do marido, em 1853. Amélia tinha na época apenas 32 anos.

Nas comemorações pelo Dia da Mulher, o site SSVPBRASIL destaca cinco curiosidades de Amélie. As informações são de estudos do confrade Mário Maríngulo, da área do Conselho Metropolitano de São Paulo, publicadas na edição janeiro/fevereiro de 2020 da revista ‘Voz de Ozanam’.

1) Amélie cuidava do único irmão que tinha. Ele era paralítico

2) O corpo de Ozanam deveria ser enterrado no Cemitério de Montparnasse (França), no entanto, Amélia não quis. Quando o marido estava vivo, mas muito doente, os dois rezavam na Capela do Carmo. Amélie teria tido uma visão, ao olhar para a Capela dos Anjos, de uma placa com os seguintes dizeres: ‘Aqui repousa Antônio Frederico Ozanam’. Com a morte do marido, a esposa conversou com muitos padres e conseguiu autorização para que o corpo do principal fundador da SSVP ficasse na Capela do Carmo.

3) Os dominicanos, que administravam a Igreja, não permitiam que mulheres adentrassem na área da cripta. Em 1885, Amélie esteve com o papa Pio IX e conseguiu dele a autorização para visitar o túmulo do marido.

4) Os frades viam Amélie segurando a filha Marie nos braços, visitando a cripta do marido diariamente, e levando-lhe flores.

5) A esposa de Ozanam também era uma mulher muito dedicada às causas sociais. Participava do Euvre des Faubourg, uma iniciativa de Aurèle Rataud, colaborador de Irmã Rosalie Rendu (Filha da Caridade – FC), obra esta que ajudava famílias carentes. Organizou a primeira coleção para o Óbulo de São Pedro, mais tarde ajudou o cardeal Laygerie em todas as funções e, por último, durante quase 30 anos, dedicou-se à Obra do Bom Pastor.

6) Amélie morreu em Écully, pequena comunidade francesa em Lyon, no dia 29 de setembro de 1894, cercada pela filha, genro e o netinho Frederico Laport.

 

Fonte: Redação do SSVPBRASIL

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY