Projeto 13 casas faz entrega em Itapuranga/GO

0
4686

O ano de 2023 se encerrou com chave de ouro na cidade de Itapuranga, Goiás. No dia 30 de dezembro, a SSVP fez a entrega de mais uma casa a uma família de assistidos do município, tornando o sonho do casal Adriane Morais de Andrade (29 anos) e César Honorato Batista (37 anos) e dos filhos: Samuel Davi (13 anos), Maria Eduarda (11anos) e Enzo Gabriel (8 anos). Assistida da Conferência Nossa Senhora da Consolação desde março de 2021, a família tinha recebido o terreno do Poder Público e conseguiu pagar a planta, contudo, não conseguia arcar com a construção.

A motivação para inscrever a família no Projeto 13 Casas, lançado pelo Conselho Nacional do Brasil (CNB) no final de 2022, veio quando a consócia Lucemi Leite Camargo, coordenadora do Departamento Missionário do Conselho Metropolitano de Goiânia/GO, participou em junho de 2022 do Encontro Nacional da Família Vicentina. “Voltei motivada a apresentar a importância de participar do Projeto para o Conselho e, quando foi lançado o Edital, em 06 de Dezembro de 2022, fizemos a divulgação, incentivando a inscrição de projetos das nossas Unidades. Para fazer o Projeto aqui nos deparamos com um grande desafio: ausência de mais Ramos da Família Vicentina presente na Diocese de Goiás. Então, procuramos o padre Celso Leonel Carpenedo, Pároco da Senhora de Fátima, de Itapuranga/GO, também Diretor Espiritual do Conselho Central São Joaquim, que junto com as Pastorais Sociais, topou a parceria para colocar o projeto em prática, caso fosse aprovado. Em 11 de junho de 2023, no Encontro da FamVin. em Brasília, recebemos a grande notícia de que o Projeto 13 Casas tinha sido aprovado”, lembra a consócia.

A escolha da família não foi difícil. Adriane trabalha de diarista como faxineira e cuida muito bem dos filhos, já o esposo, César, sofreu um acidente no trabalho, e na época da elaboração do projeto ele estava recebendo um salário-mínimo como auxílio-doença. Em novembro do ano passado, César fez nova perícia e o benefício lhe foi negado, porém ele não conseguiu retornar ao trabalho e passou a realizar atividades diárias que sua a saúde permite, o que dificulta a dignidade familiar.

“A gente sempre morava de aluguel, mudava o tempo todo. Na última casa que moramos era sala, cozinha, um banheiro, o quarto nosso e um para as três crianças. Era uma moça no meio de dois rapazes e isso tira a canto dela. Chegamos a morar de favor. Desde que estou com meu esposo, há 16 anos, é uma peleja muito grande”, lembra Adriane.

Obra

Com um investimento total de R$ 60 mil, a família viu seu sonho ganhar forma. Foram R$ 50 mil do CNB, R$ 2 mil recursos próprios da Conferência, R$ 4 mil da Família Vicentina e R$ 4 mil das Pastorais Sociais da Paróquia Nossa Senhora de Fátima (solidariedade, Saúde, Sobriedade e Pastoral da Criança). Eles também ganharam alguns móveis, como cama, colchão, além de cortinas.

“Para os vicentinos, a realização da obra foi muito importante, pois nos deu motivação e alegria de poder oferecer meios de promoção e dignidade através da moradia e a expectativa de motivar a família a buscar a dignidade, e ao casal deu a certeza de ter uma residência própria para oferecer aos filhos o conforto e endereço fixo. Um sonho que sozinhos não teriam como realizar e com o acompanhamento da SSVP, tornou-se realidade”, define Lucemi.

A nova cassa tem cozinha, sala, banheiro quarto do casal, um para os meninos e outro para a menina e um quintal. “Ficou tudo do jeitinho que eu sempre sonhei, como sempre pedi a Deus. Não tem um cantinho que a gente goste mais, porque é tudo lindo. Não tem palavras para descrever a felicidade que estamos, estou num sonho ainda. É muito bom saber que não temos mais o risco de acordar num dia e ouvir alguém dizer que vão tirar a nossa casa. A casa agora é nossa!”, comemora a assistida.

Gratidão é a palavra que define o sentimento da família contemplada. “Quando sofri o acidente, eu vi meu sonho e da minha esposa ficar tão distante, logo eu, que quase não tenho condição de andar. Mas Deus colocou pessoas no meu caminho que tornaram isso possível. A cada dia que trabalhava na construção, a cada tijolo assentado, a cada masseira feita, era meu sonho possível, passo a passo sendo feito. Poder ver o brilho no olhar da minha esposa, vendo seu sonho a cada vez se tornar realidade, poder ter um lugar que nossos filhos podem chamar de seu, pra ser melhor, chamar de minha casa. Eu queria poder ter palavras, agradecer por tudo que os vicentinos e todos fizeram por nós, agradecer a felicidade que nos deram. Que Deus abençoe a todos que tornaram possível esse sonho. Que possam a realizar o sonho de várias outras famílias. Em Nome da nossa família que Deus Abençoe a todos que tornaram possível esse imenso sonho”, finaliza César.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY