Encontro Territorial reúne 11 países da América do Sul no Brasil

0
2050

O Brasil foi sede, de 3 a 5 de maio, do “III Encontro Territorial da SSVP da América do Sul”. Representantes de onze países (Brasil, Venezuela, Colômbia, Peru, Bolívia, Paraguai, Equador, Argentina, Uruguai, Chile e Suriname), além de um palestrante convidado especial da América Central, proveniente da República Dominicana, discutiram em Aparecida/SP como está a SSVP no território e os planos para o futuro. O grupo composto por cerca de 35 pessoas ainda participou ativamente do maior evento vicentino do país, a “51ª Romaria dos Vicentinos a Aparecida”, como forma de estreitar ainda mais a troca de experiências.

O tema do Encontro foi “O Conselho Nacional como o Motor da SSVP”. O confrade Júlio César Marques de Lima, Vice-presidente do Conselho Geral Internacional para a América do Sul destaca que todos os debates e palestras apresentados durante o evento giraram em torno da necessidade do Conselho Nacional ser o grande líder, organizador e protagonista dentro da Sociedade de São Vicente de Paulo em seu país. “Buscamos mostrar aos Conselhos Nacionais, alguns deles com estruturas a serem melhoradas, que é necessário para liderar os avanços no serviço da Sociedade em cada país é necessário priorizar os temas estratégicos para a SSVP, como estabelecer planejamento e iniciativas para a captação de novos membros, novos voluntários, integração dos jovens nas Conferências, a formação permanente para confrades e consócias e também avançar na proposta e desenvolvimento de projetos sociais e iniciativas que ajudem a quebrar o ciclo da pobreza. Com essa estruturação dos Conselhos Nacionais, será possível liderar o trabalho da SSVP e avançar no serviço aos mais Pobres”, avaliou Júlio.

Pelo GCI, além de Júlio, estiveram presentes o 16º Presidente-geral, Renato Lima de Oliveira, Maria Rosa Corral (Coordenadora da Zona 1), Sebastião Ribeiro (Coordenador da Zona 2), Francisco Velasco (Coordenador da Zona 3), Renata Mancini (Coordenadora de Formação) e Arturo Antezana (Coordenador da Juventude). O Conselho Nacional do Brasil (CNB) foi representado pelo Presidente Márcio José da Silva, os Vice-presidentes Elisabete Castro, Luís Fernando Sousa e Jean de Morais Araújo, as Vice-presidentes Regionais Luciana Moreira, Fabiana de Oliveira, Margarete Santos e Ângela Dutra, o Coordenador da Ecafo, César Custódio, o Tesoureiro Rogério Carpanez e a Gerente, Ester de Pádua.

Ao dar as boas-vindas aos participantes, o presidente do CNB, Márcio, lembrou que o Encontro deveria ter sido realizado em 2020, mas que por conta da pandemia mundial teve que ser cancelado. “Estamos muito felizes em receber os representantes dos países sul-americanos no Brasil e ainda mais por tê-los em nossa Romaria, participando ativamente, inclusive e um ‘Fórum’ de troca de experiências com os vicentinos brasileiros. Esses encontros são sempre muito ricos, pois permitem conhecer as diferentes realidades e diferentes soluções encontradas para trabalhar cada vez melhor pelos nossos Mestres e Senhores. Discutimos temas importantes, como a participação da Juventude, a criação de Conselhos Particulares, chamados nos outros países de Conselhos de Zona. O Brasil, por ser o maior país vicentino do mundo, tem uma estrutura maior do que os nossos vizinhos e, com certeza, está à disposição para ajudar. Não somos melhores do que ninguém, mas temos mais vicentinos para ajudar os demais países a se fortalecerem”. O presidente ainda se colocou à disposição do CGI para o que for preciso e convidou os países a enviarem o seu Coordenador Nacional de Jovens para participar, graciosamente, do Encontro Nacional da Juventude, que acontecerá em Londrina/PA, em setembro, para conhecer a realidade da juventude brasileira e fortalecer ainda mais esse intercâmbio de experiências.

A programação do Encontro Territorial foi intensa. No primeiro dia, logo após a oração da manhã, o confrade Júlio relembrou os primeiros Encontros Territoriais (2010, em Foz do Iguaçu e 2014, em Santiago, no Chile) e destacou os compromissos assumidos pelos países nestes encontros , ressaltando a importância da unidade dentro da SSVP. Em seguida, o convidado especial do Encontro, ex-Presidente do Conselho Nacional da República Dominicana, Fausto Batista, falou sobre a gestão estratégica dos Conselhos Nacionais e relatou as atividades da SSVP no país. O palestrante chamou os convidados à reflexão: “o que é realmente a SSVP, qual o papel dela na sua vida e quem eles realmente são dentro da Organização”. Ele ainda destacou a importância da liderança dentro do Conselho Nacional e o tipo de liderança necessária para que o Conselho seja a cabeça e o líder da SSVP em cada país.

No período da tarde, o Presidente do CNB, Márcio, falou sobre os Projetos Sociais desenvolvidos como mecanismo de quebrar o ciclo da pobreza dos assistidos, qualificando-os e os incentivando a trabalhar com o que realmente gostam. Márcio ainda falou como os Projetos são propostos, sempre com a escolha da família pela atividade a ser desenvolvida, e dos mecanismos de que o CNB para financiamento, como Contribuição da Solidariedade, décima, duodécima e meia). O presidente apresentou aos presentes outros projetos da SSVP brasileira: Banho Solidário, Projeto Todos Somos Um, 13 Casas e Investindo na Vida. “É preciso mudar a estrutura das famílias, por isso, mostramos o que estamos fazendo no Brasil com esse intuito. A ideia aqui não é ensinar, mas sim motivar os participantes. Mostramos nossa estrutura que permite que o Conselho Nacional seja o motor da SSVP em nosso país e ressaltamos que os demais conselhos só vão funcionar se o Nacional estiver fortalecido, fazendo seu papel de grande coordenador”, avaliou.

A Presidente do Conselho Nacional da Venezuela, Genny Molina, palestrou sobre a implementação da formação vicentina permanente em seu país. Ela lembrou as dificuldades que seu país vem passando e como isso afeta a população, em especial os mais pobres. Dentro desse contexto, Genny ressaltou a importância de se formar vicentinos utilizando os módulos da Formação Internacional fornecidos pelo CGI , complementados com as visitas às Conferências e a boa coordenação dos líderes de formação com as coordenações dos Conselhos.

Após as palestras, os representantes dos países se dividiram em grupos por zonas para discutir os avanços nos Conselhos Superiores na Região da Vice-presidência América 3.

No dia seguinte, os participantes se reuniram para ouvir a Vice-presidente para a Região 2 do Brasil, Margarete Santos, falar sobre o Departamento Missionário e a experiência do CNB na revitalização da SSVP. Margô, como é conhecida, destacou aos presentes que “não dá para fazer Missão sentado, é preciso sair. E o Conselho Nacional é o sustento das Missões, é quem incentiva e cultiva o espírito missionário no país”. Ela contou aos presentes sobre as Missões em Mariana e Ouro Preto, em parceria com a Comissão de Jovens, e outras experiências brasileiras de sucesso de reativação e fortalecimento da SSVP.

Em seguida, o presidente do CGI, Renato Lima, falou sobre o CGI como motor da SSVP Internacional. Ele apresentou números da Organização no mundo, os trabalhos exercidos em seu mandato e a importância de se ter o Conselho Geral perto dos países. Renato também aproveitou para se despedir dos vicentinos, enquanto presidente internacional e avaliou o Encontro: “Para mim, é como se fosse fechar meu mandato (que acaba em setembro) com chave de outro. Melhor lugar não há para isso. Esse é nosso terceiro Encontro Territorial, os anteriores eu fiz como Vice-presidente Territorial. Esses encontros são sempre muito importantes, pois temos sempre novos presidentes que chegam e precisam se acostumar com a rotina, os trabalhos, ganhar experiências e temos também os mais experientes, que sempre conhecem novos projetos. Juntos fazemos o alinhamento estratégico dos países junto ao CGI e mantemos todos na mesma direção, sempre respeitando as particularidades de cada país. E ainda neste ano, coroando o encerramento do meu mandato, nossos convidados participam da Romaria, que vai encantá-los por sua magnitude. Não poderia estar mais feliz”. Em agradecimento, o Presidente-geral entregou ao CNB dois presentes extremamente significativos: uma biografia em francês de Frederico Ozanam e uma imagem feita em impressora 3D, com alta fidelidade, da cruz onde Ozanam fazia suas orações na França.

Os trabalhos se encerraram com uma mesa de debates sobre as discussões regionais do dia anterior e a avaliação de como os Conselhos Nacionais podem avançar e assumir o protagonismo. Dessas reflexões, sairá a “Carta de Aparecida”, a ser aprovada por todos os representantes dos países, enumerando as resoluções do encontro.

Os convidados ainda participaram de uma Santa Missa na Capela São José, no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, na quinta-feira à noite e na sexta, a partir das 17 horas, se juntaram aos vicentinos brasileiros para os três dias de Romaria.

A avaliação do Encontro, de acordo com o seu organizador, confrade Júlio, não poderia ser mais positiva: “Foram três dias de trabalhos produtivos, os presidentes e representantes ficaram muito satisfeitos com as formações recebidas e os materiais entregues, tanto pelo CGI quanto pelo CNB e terminamos com chave de ouro, com a participação dos vicentinos visitantes na Romaria dos Vicentinos a Aparecida. Eles puderam ver a força da SSVP no Brasil em seus mais diversos aspectos, como conseguimos mobilizar as pessoas. Esse foi o grande exemplo que o Brasil passou para eles, porque tudo isso acontece porque existe um Conselho Nacional que pensa a Sociedade de São Vicente de Paulo em nível nacional, de forma estratégica, coordenando todo esse movimento que eles puderam ver: vicentinos de todas as idades, jovens, adolescentes, reunidos por um mesmo ideal. O balanço geral foi muito bom e esperamos avançar com o trabalho da SSVP em alguns desses países, pois é isso que o Conselho Geral busca, dar aos países condições de avançar e melhorar o serviço que eles entregam aos mais Pobres.”

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY