Outubro, Mês das Missões: vamos a águas mais profundas?

0
460

O mês de outubro é conhecido para os católicos como dedicado às Missões. Para a Sociedade de São Vicente de Paulo, as Missões têm um significado para lá de especial: através delas conseguimos espalhar, aflorar e cumprir a vocação de ir aos Pobres.

Segundo o Papa Francisco, “a missão no coração do povo não é uma parte da minha vida, ou ornamento a ser posto de lado. É algo que não posso arrancar do meu coração” (Alegria do Evangelho, 27).

E é esse espírito que vemos em cada vicentino, espalhado pelos quatro cantos do país e pelo mundo afora. A Missão não trata de uma questão geográfica apenas. Você não precisa ir a outro estado ou país necessariamente para cumprir a missão de levar a Boa Nova, de servir ao Pobre, de levar adiante o carisma vicentino. Você pode e deve viver a Missão na sua casa, no seu trabalho, nas suas relações sociais, na sua comunidade. 

Para o Coordenador Nacional do Departamento Missionário do Conselho Nacional do Brasil (CNB), David Alves Faria, missionário é “antes de mais nada um sonhador de coração inquieto, pois já antecipa em seu íntimo tudo aquilo de maravilhoso que gostaria de ver ganhando vida na SSVP. O missionário é alguém que se reconhece instrumento nas mãos de Deus e se coloca em movimento. O missionário vicentino é, portanto, alguém que não se acomoda diante dos desafios”, define o Coordenador. David conta ainda que ser missionário para ele é uma oportunidade que Deus dá de responder à sua eterna inquietude, através de pequenas ações, pequenos gestos, que aos poucos vão reacendendo o vigor da SSVP. “Acredito que este é, talvez, o grande segredo da missionariedade. Como dizem aqui em Minas Gerais, é o poder do “tiquin”, do pouco feito com amor, com foco, organização e constância. Muitas vezes somos tentados a imaginar que as grandes missões são mais importantes, sem perceber que ações pequenas, feitas por pessoas simples, se somadas, podem transformar completamente, de forma positiva a SSVP”.

Sobre o trabalho do Departamento Missionário neste primeiro ano de mandato do confrade David Alves Faria frente ao Departamento Missionário do CNB, ele explica que, depois de dois anos de pandemia e isolamento social, nunca foi tão importante falar de Missão, sair em Missão e reaquecer o coração dos vicentinos e daqueles que tanto precisam da ação vicentina pelo país. “Nestes primeiros meses de trabalho, temos usado parte de nossos esforços em ‘pulverizar’ a consciência de que a missão de revitalizar a SSVP é trabalho que deve ser assumido por todo vicentino, e não somente por aqueles diretamente envolvidos com o Departamento Missionário. Por este motivo, desenvolvemos, colaboramos e incentivamos inúmeras ações, com destaque para o curso de formação missionária Padre Joelson Sotem, que é uma iniciativa nossa que visa capacitar novos vicentinos, do país inteiro, para desenvolver missões nos moldes do Departamento Missionário. Além disso, estamos com três ações missionárias em curso, que são o Projeto revitaliza Maranhão, Projeto de Revitalização da SSVP no estado do Acre e expansão da SSVP para o estado de Rondônia”, conta.

A receita para se fazer o trabalho missionário? David explica com simplicidade: “Costumo dizer que nosso trabalho missionário tem dois pilares que o sustenta: Espiritualidade e organização e planejamento. E é assim de forma leve, espiritualizada e organizada que o time do Departamento Missionário do CNB se organiza e leva o trabalho vicentino adiante. Vamos juntos viver a Missão, espalhar os ensinamentos de Ozanam e seguir os passos de São Vicente de Paulo diariamente, na nossa casa, com nossos amigos, na nossa comunidade, nas cidades ao nosso redor e nos estados mais distantes do País. Vamos a aguas mais profundas, em nome dos nossos Mestres e Senhores”, convida.

Oração do Mês Missionário

Deus Pai, Filho e Espírito Santo, comunhão de amor,

compaixão e missão. Nós te suplicamos:

Derrama a luz da tua esperança sobre

a humanidade que padece a solidão, a pobreza,

a injustiça, agravadas pela pandemia.

Concede-nos a coragem para testemunhar,

com ousadia profética e crendo

que ninguém se salva sozinho,

tudo o que vimos e ouvimos de Jesus Cristo,

missionário do Pai.

Maria, mãe missionária, e São José, protetor da família,

inspirem-nos a sermos missionários

da compaixão e da esperança.

Amém.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY