Conheça a Região 2: onde sotaques e solidariedade se unem

0
868
Missa de Encerramento do Encontro de presidentes da Região 2 em Caratinga/MG, em 2019 – Crédito: Divulgação

Dentro da nossa série quinzenal para mostrar os avanços e desafios das Regiões da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP), está na hora de conhecer Região 2, que engloba Conselhos Metropolitanos dos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, além do sul da Bahia e algumas regiões de Minas Gerais, misturando sotaques e culturas em prol do bem maior: a solidariedade e a busca de acolhimento e melhora de vida dos Pobres.

Cor: Azul

Padroeira: Nossa Senhora da Rosa Mística.

Ao todo, são sete Conselhos Metropolitanos (Rio de Janeiro, Volta Redonda, Juiz de Fora, Barbacena, Ouro Preto, Caratinga e Governador Valadares), 4.275 Conferências, 595 Conselhos Particulares e 71 Conselhos Centrais. São 30.595 vicentinos (12.559 confrades e 18.036 consocias) atuando nesta Região, que reúne 57 obras.

O confrade César Custódio da Silva, vice-presidente da Região 2, ressalta a determinação dos vicentinos na Região e estruturação pela qual ela está passando. “Os vicentinos da Região 2 atuam com muito vigor, com muita vontade. Temos muitas Conferências e sabemos que este número ainda é pequeno perto do tamanho da Região, mas novas estão surgindo graças ao trabalho de todos. Estamos trabalhando firme para reorganizar, agrupar e fortalecer as obras”, conta o confrade, lembrando que fez questão de conhecer as 57 existentes na Região.

Sob as bênçãos de Nossa Senhora da Rosa Mística, entrosamento e dedicação são palavras-chaves para esta Região.

Os trabalhos da Escola de Capacitação Antonio Frederico Ozanam (Ecafo) na Região sempre foram em sintonia com os propósitos dos Conselhos Metropolitanos. “Estamos sempre pautando nosso trabalho na capacitação eficiente de novas diretorias em todos escalões, bem como na aplicação dos módulos sugeridos pela coordenação nacional. De forma especial, vale ressaltar, o envolvimento de todos coordenadores na divulgação dos vídeos da Semana Nacional da Ecafo em agosto. Outra coisa que é preciso destacar em nossa região, é o excelente entrosamento entre os departamentos, principalmente entre a Ecafo, a Conferência Jovem e as Conferências de Crianças e Adolescentes”, explica Agnaldo Lucio Ferreira, coordenador para Ecafo da Região 2.

Encontro da Ecafo da Região 2 realizado em 2018 – Crédito: Divulgação

Região 2 e a Pandemia

A dedicação citada pelo vice-presidente se reflete nas ações realizadas durante a pandemia do Covid-19 na Região. Uma Conferência de Crianças e Adolescentes (CCA) e uma com adulto e jovens foram criadas durante esse período difícil que nosso país e o mundo atravessam, como é o caso de Tarumirim, no interior de Minas Gerais. “Em março foi criada a conferência de adulto e em julho a CCA e elas já estão a pleno vapor. Como a padroeira deles é a Santa Irmã Dulce, eles realizaram em agosto, quando se comemora o Dia da Padroeira, uma gincana e novena de nove dias, sempre on-line, mobilizando não só os Conselhos Centrais e Particulares, mas também alguns Conselhos Metropolitanos da Região 2.

Encontro virtual da CCA, que realizou gincana e novena na Região 2 – Crédito: Divulgação

“A ideia é que outros locais se inspirem e novas Conferências se formem, não só na Região 2, mas por todo país”, explica o confrade Vinícius Santos de Faria Rosa, coordenador de CCA para a Região 2.
Ainda dentro dos trabalhos das CCA’s, está o trabalho do Conselho Metropolitano de Governador Valadares, que mesmo com a pandemia, desenvolveu com as crianças cartinhas de motivação e de incentivo durante esse isolamento social, que foram enviadas à Região I, como uma ligação entre as regiões.

O concurso “Pintando a Fraternidade 2020” também teve a participação das CCA’s de quatro dos sete Conselhos Metropolitanos da Região. “Foi um número expressivo de desenhos e poesias, apesar da pandemia”, conta o confrade Vinícius.

A Comissão de Jovens da Região 2 tem feito um trabalho primoroso com a base, criando entre eles uma ligação muito forte de amizade, estando sempre próximo às bases. Além disso, o trabalho realizado é impecável, haja vista a participação recente na Força-Tarefa proposta pela Comissão Nacional de Jovens, que superou expectativas.

A força e atuação dos jovens vicentinos na Região é tão grande que ela é a única a ter um hino próprio da Juventude Vicentina. Parte do hino reflete o amor e trabalho desses jovens e da CJ: “Os setes pilares que edificam nosso trabalho. E os jovens de Valadares, Ouro Preto, Caratinga, Juiz de Fora, Rio de Janeiro, Volta Redonda e Barbacena. Jesus quando voltar irá arrebatar a juventude de Ozanam, Jesus quando voltar irá arrebatar a juventude da SSVP. Essa juventude com certeza é você.”

A consocia Mariana Calegário, coordenadora da CJ para Região 2 conta que “os trabalhos desenvolvidos, neste momento com a pandemia estão restritos, entretanto, nenhum jovem vicentino da Região 2 deixou de atender os assistidos e os mais necessitados nesse período difícil”, mostrando o verdadeiro espírito vicentino. 

Jovens coordenadores da Região 2, no último encontro Nacional de Jovens – Crédito: Divulgação

O confrade César Custódio da Silva, vice-presidente da Região 2, destaca “são muitas famílias que esperam as nossas visitas. Nas obras, muitas vezes, os atendidos só recebem a nossa ajuda e a nossa visita. Às vezes, a pessoa precisa de uma visita espiritual, outras uma cesta básica, tem vezes que é só uma conversa. Nosso trabalho alivia o sofrimento das pessoas e isso não tem preço, é o que faz tudo valer à pena. Estar sempre com a atenção voltada para quem podemos estender as mãos, ouvir. Estar à disposição para servir, ter uma dose de amor e de sensibilidade. Isso pode mudar o dia de uma pessoa ou até mesmo sua vida”, encerra.

Reunião R2 em dezembro de 2019 – Crédito: Divulgação
Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY