Jubileu: Romaria histórica de 50 Anos leva 13 mil pessoas à Aparecida

0
1521

A tão aguardada 50ª Romaria Nacional dos Vicentinos ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida aconteceu de 8 a 10 de julho. O maior evento vicentino do mundo levou ao Santuário 13 mil pessoas ao longo dos três dias, sendo que no domingo, dia 10, durante a Festa Regulamentar e a Santa Missa, o Centro de Eventos Padre Vitor Coelho ficou com sua capacidade máxima, 9 mil pessoas.

Com o tema “Sob o Manto Sagrado da Mãe: cultivando a missão do saber cuidar!”, a Romaria levou os milhares de presentes a diversos momentos de emoção e demonstrações de fé e devoção à Mãe. “Foi um final de semana de reencontro com a Casa da Mãe, com os vicentinos, depois de dois anos de pandemia e sem a Romaria. Foi lindo ver tantas pessoas, desde crianças a idosos, famílias inteiras, unidas por esse propósito de fé. Tivemos a participação de todas as regiões do nosso país, diversas caravanas, pessoas que viajaram mais de dias para estar em Aparecida e se entregaram por completo na nossa programação”, define a consócia Elizabete Maria Castro, a Bete, 1ª Vice-presidente do CNB e uma das responsáveis pela organização da Romaria.

Na programação, várias atividades emocionaram os participantes. A agenda começou na sexta com o Terço no Caminho do Rosário, onde Padre Emanoel Bedê conduziu as orações, acompanhado por uma jovem representando Maria. O terço foi finalizado com a Mãe sendo homenageada com um vulcão de cores.

No sábado, a programação foi intensa. Começou com a Via Sacra no Morro do Cruzeiro, que já reuniu milhares de romeiros vicentinos. Um “mar de gente tomou conta do caminho, cantando e rezando. Animado pela Banda Vicente’s Soul, a concentração já mostrava o que iria acontecer durante as mais de duas horas de caminhada. Uma pregação intensa do padre Emanoel deu o tom e o desafio aos vicentinos: de rever o carisma e o modo de ação. Música, oração, pregação e reflexão em um trajeto percorrido de baixo de sol e com uma animação e devoção que encantavam quem via. Quinze “Ozanans” entregavam água para os romeiros, lembrando o carisma de servir

A tarde ficou por conta da abertura da Exposição de fatos e fotos do Jubileu da Romaria. O resgaste histórico contou com diversos painéis mostrando e contando a história da Romaria ao longo desses 50 anos e uma mostra de algumas camisetas usadas durante edições do evento.

Na sequência, aconteceu o Show de Talentos das CCAs (Conferências de Crianças e Adolescentes) e as crianças e adolescentes literalmente deram um show. Foram 16 apresentações, com a participação de 110 crianças e adolescentes das regiões 1, 2 3, 4 e 5. As regiões 6  e 7 não tiveram apresentações neste ano e ficou o desafio para 2023. Elas dançaram, cantaram, interpretaram e mostraram que o futuro da SSVP Brasil está em ótimas mãos, chamando a plateia o tempo todo a refletir sobre os ensinamentos de Ozanam e a responsabilidade vicentina com os Pobres.

A noite foi marcada pela apresentação do Festival Cultural Ozanam da Juventude Vicentina, com show da Banda Vicente’s Soul. A animação tomou conta da juventude de vicentina, que reafirmou seu carisma e cantou e dançou muito.

Já o domingo, começou com a Festa Regulamentar. Preparada com muito carinho e cuidado, ela teve a entrada das imagens de Nossa Senhora, São Vicente e Ozanam, dança, homenagem a pessoas que marcaram a história da Romaria, palestra do confrade Eduardo Marques, sobre o tema da Romaria “Sob o Manto Sagrado da Mãe: cultivando a missão do saber cuidar!”. Um dos momentos mais aplaudidos foi a coração de Maria, realizada por crianças da CCA, que emocionou os presentes.

O confrade Julio Marques, Vice-presidente do Conselho Geral Internacional para a América do Sul, falou da felicidade da volta da Romaria após dois anos e da importância do trabalho realizado pelos vicentinos em suas Conferências. Ele ainda destacou que os 150 anos da SSVP em território brasileiro precisa ser marcado pelo trabalho nas Conferências. “Estamos atravessando um momento difícil, com fome, com desemprego e é nesse momento que os vicentinos marcam presença. Os jovens fundadores souberam dar resposta a um momento difícil na França e agora temos que reafirmar nossa resposta efetiva”, destacou.

O presidente do Conselho Nacional do Brasil, confrade Márcio José da Silva, abriu todas as atividades, chamando os vicentinos para sua missão e agradecendo pela 50ª Romaria. Na festa Regulamentar não foi diferente: “O tema de nossa 50ª Romaria, ‘Sob o manto sagrado da Mãe, cultivando a missão do saber cuidar’, nos remete a necessidade do cuidado, do cuidar de nós mesmos cultivando a Missão bonita de saber cuidar também do outro, o nosso próximo, e a esse cuidado que é um gesto concreto de amor, chamamos de Caridade. Ainda mais quando deixamos nossos lares para vir a Casa da Mãe, para orar, pedir, agradecer, louvar, celebrar e comemorar como membros da Sociedade de São Vicente de Paulo estes 50 anos de peregrinação, onde muitos ao longo dos anos experienciaram milagres em suas vidas, momentos de intensa oração, oportunidade do encontro e do reencontro de amigos e irmãos de caminhada, quantas alegrias vividas nos festivais, via sacras, oração do terço e outros acontecimentos. É sem dúvida um dos maiores encontros vicentinos do planeta, por isso, estar ‘sob o manto sagrado da Mãe, para renovar nosso compromisso de cultivar a missão do saber cuidar’, nos remete a necessidade de compreender que cultivar a missão já é um cultivar de cuidar, cuidar da Missão. Vir anualmente a nossa Romaria é o momento oportuno não apenas de poder tocar com os pés o solo sagrado que alimenta nossa fé e devoção em Nossa Senhora, é o vir e estar aqui oportuno para renovar e aumentar nosso compromisso vocacional de ir ao encontro dos mais Pobres para cuidar”, lembrou.

Mas o presidente foi além. “Não tem razão de ser estar aqui na Romaria, se dizer vicentino ou vicentina, e não participar ativamente e semanalmente, repito semanalmente, da visita domiciliar a casa das famílias assistidas de nossa Conferência. Bem como não estar presente e participar ativamente e semanalmente das reuniões das Conferências e suas demais atividades. É tempo e é necessário termos a coragem, o ânimo e a determinação de avançarmos para águas mais profundas, é preciso não ficar parado somente na cesta básica tão necessária para muitas famílias, pois se faz preciso pensar e colocar em prática ações audaciosas que transformem e melhorem as condições de vida e sobrevivência de quem depende dos alimentos destas cestas. É preciso e urgente pensar na mudança das estruturas geradoras de pobreza com ações e projetos que tragam dignidade humana, financeira e social aos Pobres que ousamos assistir, para que nossa assistência seja libertadora e não causadora de dependência”, enfatizou.

A Romaria foi finalizada com a Santa Missa, celebrada pelo Padre Emanoel, acompanhado por diversos padres e diáconos. Em todas as suas falas, ao longo da Romaria, Padre Emanoel lembrou que a “Igreja é feita para o Pobre e deve ser vivida junto do Pobre”, dando uma verdadeira aula de caridade e do carisma vicentino aos presentes. A consócia Bete fez um resgate da história da SSVP Brasil e algumas jovens fizeram uma entrada, vestidas de Maria, montando um mapa do Brasil, baseado nas sete regiões da Sociedade no país.

Em um balanço da edição especial da Romaria, o presidente do CNB afirmou: “Foi um momento inesquecível, de fé, de devoção à Mãe, de entrega. Preparado por dois anos, com muito carinho por uma Comissão dedicada a quem só tenho a agradecer. Foram 13 mil pessoas de todo o nosso país que vieram para Aparecida. Foi uma festa linda, acima do esperado”, disse um presidente emocionado.

Passada a 50ª Romaria, o presidente anunciou que a edição do ano que vem já tem data: de 5 a 7 de maio. É guardar no coração a emoção da edição 50 e esperar o ano que vem para reviver as homenagens à Mãe!

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY