Conheça as sete vice-presidentas Regionais da SSVP

0
3440

Ao assumir a presidência do Conselho Nacional do Brasil, o confrade Márcio José da Silva, nomeou sete mulheres para as vice-presidências das regiões da SSVP Brasil. Cada uma com sua particularidade, essas mulheres aceitaram o desafio de fortalecer o carisma vicentino por todos os cantos do Brasil e de seguirem fortes na manutenção dos ideais de São Vicente de Paulo e de Frederico Ozanam.

Vamos conhecê-las?

Região 1  – Vânia Peres de Souza Cruz

A consócia Vaninha é de Ibirité/MG, tem 48 anos e entrou na SSVP aos 13. São 37 anos dedicados à Sociedade.  “Comecei a participar, acompanhando meus pais nas reuniões de Conferência e no banho a uma senhora que tinha o corpo todo ferido. Nas reuniões de Conferência, eu amava quando a secretária faltava e tinha oportunidade de fazer as atas”, relembra a vice-presidente para Região 1, que  frequenta a Conferência Santa Edwiges – Conselho Particular São Benedito – Conselho Central São Pedro de Ibirité – Conselho Metropolitano de Contagem/MG.

Antes de chegar ao posto atual, Vaninha já foi secretária de Conferência, de Conselho Central e de Conselho Metropolitano; tesoureira de Conferência e Conselho Particular;  coordenadora de Comissão de Jovens de Conselho Particular, Conferência de Crianças e Adolescentes  e presidente de Conferência, Presidente de Conselho Particular, Presidente de Conselho Central.

Vaninha estará à frente da Região que tem como Padroeira Nossa Senhora de Fátima e a cor verde.  A Região I abrange os Conselhos Metropolitanos de Montes Claros, Diamantina, Belo Horizonte, Contagem, Divinópolis e Formiga, todos em Minas Gerais. São 4.115 Conferências, 492 Conselhos Particulares, 64 Conselhos Centrais, 131 Obras Unidas e cerca de 27 mil vicentinos.

A consócia aceitou o convite do presidente por amor incondicional à SSVP. “Na SSVP aprendi a vencer muitos medos, vi que poderia ser útil aos mais vulneráveis, e com a ajuda de outros vicentinos lhes devolver a dignidade humana”. 

Região 2 –Maria Margarete Santos

A consócia Margô, como é carinhosamente chamada, mora em Ipatinga/MG, tem 52 anos e está há 24 na SSVP, depois de sua avó ser assistida. Ela frequenta a Conferência São Jerônimo – Conselho Particular Sagrada Família – Conselho Central de Ipatinga – Conselho Metropolitano de Governador Valadares/MG.

 “Minha família conheceu a SSVP, através de uma assistência que na época eles deram à minha avó, que estava acamada. Eles a visitavam. Lembro-me das visitas, e das muitas vezes que eles auxiliavam minha mãe no cuidado com ela e nas orações. Entrei na Sociedade, por insistência de minha mãe, que após o falecimento da minha avó, atendeu ao convite e foi para a Conferência. Fui fazer uma visita para fazer as vontades dela e foi paixão à primeira vista”, lembra. 

Na SSVP, Margô já foi orientadora de CCA, membro de Conferência de Jovens, de Conselhos Central e Metropolitano, presidente de Conferência, cargo que ocupa atualmente, e de Conselho Particular e coordenadora do Departamento Missionário do CNB por 2 mandatos.  

“Amo a SSVP desde quando a conheci. Amo o que faço, e coloco muita paixão em minhas ações. A Sociedade de São Vicente de Paulo, me faz uma pessoa melhor a cada dia. Dar meu sim para ser vice regional, apesar dos desafios, é uma pequena retribuição de tudo que a SSVP já me proporcionou.  É poder colocar minha vida à disposição e oferecer um pouco do meu conhecimento a quem eu puder ajudar. Vejo como uma forma de agradecer a Deus as dádivas em minha vida! Minha mãe que me apresentou a SSVP e faleceu em 2018 tinha um amor imenso também e tinha muito orgulho de minha vida de doação à SSVP.  Em minha dedicação e meu amor à SSVP, ela me vem à memória. Acredito que o maior desafio do nosso trabalho será a extensão geográfica. Nossa área é gigante. E aliado a isso, temos que trabalhar a  revitalização de nossas Unidades, que muito perderam em número nos últimos anos. Mas tenho a certeza, que com a força e dedicação dos vicentinos da Região, qualquer desafio será superado”, avalia.

Ao todo, a Região 2 é composta por sete Conselhos Metropolitanos (Rio de Janeiro, Volta Redonda, Juiz de Fora, Barbacena, Ouro Preto, Caratinga e Governador Valadares), 4.022 Conferências, 562 Conselhos Particulares e 70 Conselhos Centrais. São mais de 38 mil vicentinos atuando nesta Região, que reúne 54 Obras Unidas.

Região 3  -Fabiana Aparecida Goulart Gonçalves de Oliveira

A consócia Fabiana Oliveira tem 44 anos e há 27 anos é vicentina, frequentando a Conferência Santa Teresinha, da qual é presidente, na cidade de Presidente Prudente/SP (Conselho Particular Nossa Senhora de . Fátima – Conselho Central Presidente Prudente – Conselho metropolitano Campo Grande/MS). Ela conheceu a SSVP ainda criança, aos nove anos, quando morava no bairro COHAB e “os vicentinos ‘idosos’ passavam na minha casa realizando a coleta de alimentos. Minha mãe sempre dizia, quando for para os vicentinos sempre pode doar, mesmo que eu não esteja em casa. Mudamos de bairro e quando tinha 14 anos meu pai sofreu um acidente muito grave. Ele era o único que trabalhava, então, quando estávamos quase sem alimentos bateram em nossa porta novamente os vicentinos “idosos”. Mas dessa vez para nos oferecer ajuda, como enviados de Deus, porque não tínhamos contado nossa situação a ninguém”, lembra a consócia que naquela ocasião passou a ter a família como assistida. 

A família mudou-se de bairro pela segunda vez e novamente os vicentinos cruzaram seu caminho. “Minha mãe foi à missa para agradecer as melhoras do meu pai e era missa das cinco intenções da Conferência Santa Zita. Era uma Conferência com jovens. Então, minha mãe chegou em casa toda empolgada e disse ‘no próximo domingo você vai comigo, agora é nossa vez de ajudar quem nos ajudou’. Eu disse que não iria porque na minha cabeça os vicentinos eram coisa para ‘idosos’, mas ela contou que nesse grupo eram todos jovens e ela seria a mais velha. E no próximo domingo meio obrigada eu fui. Gostei da reunião, das pessoas que participavam e pensei que poderia voltar algumas vezes. Mas logo após a reunião foi a visita nas casas e aí foi o meu real encontro com a SSVP. Quando entrei na casa do Pobre, percebi que ali era o meu lugar, a visita tocou muito forte no meu coração e já se vão 28 anos de caminhada”, relembra.

Antes de assumir a vice-presidência da Região 3, Fabiana foi membro da Comissão de Jovens de Conselho Particular, Central e Metropolitano, coordenadora do CJ de Metropolitano duas vezes, presidente  secretária e tesoureira de Conferência por várias. Hoje está ainda como Interventora do Conselho Central de Presidente Prudente e faz parte do corpo docente da Ecafo do Metropolitano.

Sobre aceitar o convite para a vice-presidência, a consócia é enfática: “Eu tenho uma grande dívida com a SSVP, porque ela me aproximou mais de Deus e me colocou no caminho da salvação. Eu estava fora da igreja quando comecei a participar da Conferência e hoje sou ministra da eucaristia, convite feito pelo padre, a partir do trabalho prestado como vicentina.

Eu só tenho gratidão a SSVP e não posso falar não. Todo convite recebido para mim vem de Deus e não posso dizer não para Ele, nunca.  Outra coisa que me fez aceitar esse desafio foi a proposta do confrade Marcio no empoderamento feminino, sete vices mulheres foi uma proposta totalmente inovadora e ousada. Não tinha como ficar de fora. Quanto ao maior desafio, acredito que seja na região Sul. Quero trabalhar para que possamos voltar a desmembrar o Conselho Metropolitano Curitiba e Porto Alegre e fazer crescer cada vez mais os Metropolitanos caçulas, Campo Grande, Maringá e Cambé”, detalha.

Abrangendo do Sul ao Centro-Oeste do país, a Região 3 é composta por cinco Conselhos Metropolitanos (Curitiba e Porto Alegre, Cambé, Bauru, Maringá e Campo Grande), 1.122 Conferências, 174 Conselhos Particulares e 30 Conselhos Centrais. São mais de 9.600 vicentinos atuando nesta Região, que reúne 96 Obras Unidas. Sua cor é o branco e a Padroeira Nossa Senhora das Graças.

Região 4 – Luciana Moreira

A consócia Luciana Moreira, de 52 anos, está na SSVP desde dezembro de 2014, em Limeira/SP.  “Costumo dizer que sou inversamente proporcional aos nossos dirigentes. Sou velha em idade e nova na Sociedade. Enquanto que os demais dirigentes são novos de idade e antigos na Sociedade”, brinca ela, que iniciou na vida vicentina devido à mudança de horário das missas depois de um incêndio na Capela São Vicente de Paulo, pertencente à SSVP, em Limeira. 

“Em 2014, foi realizada a festa Regulamentar da Imaculada Conceição logo após a missa, e nessa oportunidade foi apresentado o ‘Auto de Ozanam’. Depois o confrade Jair Calsa fez um apelo, dizendo que a Conferência que atuava na área da Capela estava para fechar por falta de membros. E assim eu comecei a frequentar a Conferência, que por ação de Deus, se chama Imaculada Conceição. E a Imaculada Conceição, sempre me acompanha. Para se ter noção, fui apresentada na festa da Imaculada Conceição no ano seguinte.” 

A consócia relembra a trajetória dentro da SSVP: “Minha Conferência passava por muitos problemas e estava toda irregular. Buscando ajudar, comecei a estudar a Regra, tive muitos professores vicentinos, que tiveram toda paciência do mundo comigo, e em 2015, fui convidada a ajudar na Ecafo. Foi uma oportunidade de ouro para conhecer melhor a SSVP e tentar ajudar a minha Conferência”, conta. Luciana também foi secretária de Conferência, Conselhos Central e Metropolitano e agora é vice-secretária e presidente da Conferência Imaculada Conceição. Ela também participa da Conferência Santa Ana (as duas do Central de Limeira e Metropolitano São Carlos/SP).

Querendo que sua Conferência e Conselho participassem mais das coisas da SSVP, a consócia se escreveu por três anos para o concurso literário do CGI e, em 2017, foi congratulada com o 1º lugar, em 2018, fui 2º lugar e em 2019, recebeu uma menção honrosa. 

Sobre o convite ela demorou a aceitar por achar que não estava preparada para o cargo. “Estava terminando o meu mandato como secretária do meu CM e estávamos em busca de presidentes. O convite veio numa época bem conturbada e sem esperar. Porém um mês antes, eu havia gravado um vídeo motivacional, para a pastoral vocacional aqui da minha Diocese, em que eu dizia às pessoas para que se colocassem a disposição para servir, é que do resto Deus cuidaria. E essa frase me perseguiu, não poderia ser incoerente com meu próprio discurso. Acredito que os desafios são inúmeros, mas tenho a certeza que a Imaculada Conceição, São Vicente de Paulo e o Beato Frederico Ozanam vão estar comigo, me ajudando a vencer a cada obstáculo. O maior desafio da minha região acredito que seja fortalecer os laços entre os Conselhos, Conferência e Obras Unidas, uns cuidando dos outros. Precisamos saber ouvir nossas bases, fortalecê-las e instruí-las, tudo em favor dos nossos Mestres e Senhores”, finaliza.

A Região 4 é composta por seis Conselhos Metropolitanos (Jundiaí, São José dos Campos, São Paulo, São José do Rio Preto, São Carlos e Pouso Alegre), 3.086 Conferências, 411 Conselhos Particulares e 65 Conselhos Centrais. São quase 2.500 vicentinos atuando e 176 Obras Unidas. Sua cor é a vermelha e a Padroeira Nossa Senhora Aparecida.

Região 5 – Vânia de Fátima Garcia Siebert

Para os trabalhos da Região 5, a escolhida foi a consócia Vânia, de 60 anos e 28 anos na SSVP.  “A SSVP foi me apresentada por uma tia vicentina, e com a ajuda de meu esposo, Vanderli Siebert, e três casais, fundamos a primeira Conferência em Barra do Garças/MT, Sagrada Família. Posteriormente, foram fundadas as Conferências São Pedro , São José Operário  e São Domingos Sávio, todas do Conselho Particular Sagrado Coração de Jesus,  área do Conselho Central de Cuiabá/MT  e do Metropolitano de Goiânia/GO. 

Nos 28 anos de vida vicentina, a consócia Vânia já teve diversos cargos:  foi presidente de Conferência e Conselho Particular, vice-presidente do Metropolitano de Governador Valadares, secretária, monitora da Ecafo, orientadora de CCA, coordenadora do Denor e de Patrimônio. 

“Aceitei o convite do confrade Márcio por ser apaixonada pela SSVP  e pelo espírito de servidão. Por ter ciência da dificuldade de se formar novas diretorias, bem como dando uma respostas às indicações que recebi , que são de amigos vicentinos ‘conceituados’  no meio vicentino, e por confiar na palavra de Deus ‘ Não foste vós que me escolheste, mas eu vos escolhi’ (Jo 15,16),” recorda a consócia da Conferência Antônio Frederico Ozanam – Conselho Particular São benedito – Conselho Central Paracatu  – Conselho Metropolitano Patos de Minas/MG.

A Região V é composta por Conselhos Metropolitanos de quatro estados, além do Distrito Federal: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Tocantins. São eles Anápolis, Brasília, Goiânia, Patos de Minas e Uberaba, São 1.750 Conferências, 281 Conselhos Particulares e 44 Conselhos Centrais. Tem cerca de 18 mil vicentinos atuando e 95 Obras Unidas. Sua cor é a laranja e a Padroeira Nossa Senhora do Carmo. 

A consócia Vânia tem um grande desafio para os próximos quatro anos: “Expandir a SSVP no Mato Grosso, onde começou minha trajetória. Também temos o propósito de agregar, motivar, congregar, animar, formar, fazer conhecer, reconhecer, cuidar, zelar  pelos vicentinos dos cinco Metropolitanos da Região 5”, conta. 

Região 6 – Ana Paula Alves de Lima

A consócia Paula Lima, como é conhecida, tem 35 anos, 11 deles dedicados à SSVP. Ela define sua relação com a Sociedade como uma história de amor. “ Fui convidada para conhecer uma Conferência e me apaixonei quando soube que o trabalho principal era servir a Deus, na pessoa do Pobre”, lembra.

E de lá para cá foram muitos os cargos dentro da Sociedade, antes de chegar à vice-presidência da Região 6: Paula já foi da Conferência de Crianças e Adolescentes e da Comissão de Jovens do Conselho Metropolitano de Maceió e hoje, além do cargo de vice-presidente regional, a consócia, que já foi vice-presidente da Conferência Nossa Senhora da Conceição, em Rio Largo/AL, ocupa o cargo de presidente. Conselho Particular Tabuleiro – Conselho Central Tabuleiro – Conselho Metropolitano Maceió/AL.

“Recebi com muito amor o encargo de vice regional. O maior desafio que vamos enfrentar veio com os últimos dois anos, enfrentando a pandemia. É preciso reanimar, incentivar nossas Conferências, fortalecer as bases para continuar com o nosso maior propósito que é servir. Outro grande desafio da nossa região é organizar as Obras Unidas, que são 15”, conta ela. 

Ao todo, na Região 6, são quatro Conselhos Metropolitanos (João Pessoa, Olinda e Recife, Bahia e Sergipe, e Maceió), 761 Conferências, 136 Conselhos Particulares e 29 Conselhos Centrais. São mais de 7.400 vicentinos, entre idosos, adultos, jovens, adolescentes e crianças, nesta Região, que reúne 15 Obras Unidas. Sua cor é a rosa e Nossa Senhora da Conceição, a Padroeira. 

Região 7 – Ângela Maria de Araújo Dutra

A consócia Ângela tem 44 anos e é vicentina há 30 anos, e participa da Conferência Nossa Senhora da Conceição, em Paço do Lumiar/MA. (Conselho Particular Santa Clara de Assis – Conselho Central São Luís – Conselho Metropolitano Teresina/PI.)  “Sou muito apaixonada pela SSVP. Fui convidada a participar por um confrade de quem eu gostava muito, e que hoje já é falecido, e ele me motivou, assim como outros membros depois. É um grupo que me apaixona, me identifico, me encontro na caridade”, lembra. 

Antes de ser vice-presidente da Região 7, a consócia foi presidente de Conferência, de Conselho Particular, coordenadora de eventos e de Comissão de Jovens de Conselho Central, vice-presidente e presidente de Conselho Central  e vice-presidente de Conselho Metropolitano. Integrou a equipe do Denor e da Comissão de Ética do CNB. “Aceitei o encargo pelo anseio de fazer mais pela minha região. Ela tem muitos problemas, especialmente a questão geográfica. Na região Norte, por exemplo, nós temos Conselhos Particulares que demoram 72 horas, 48 horas para chegar. É uma dimensão gigantesca e temos que estar presentes. é um desafio muito grande porque a gente precisa visitar nossos órgão in loco, precisa conviver, sentir, até para ajudar. Mas estou muito confiante, a gente não pode deixar de orar, tem a experiência adquirida, o querer fazer e ser apaixonada por aquilo que faz. E a gente só faz bem feito e se apaixona por aquilo que conhece. Então, está aí a importância da gente conhecer a base, se envolver, conhecer o carisma. Sou muito grata a Deus pelo que Ele faz na minha vida e por cada função que assumo na SSVP. O nosso grande sonho é ter nosso Conselho Metropolitano, no Maranhão. E com a graça de Deus, sei que vamos conseguir”, conta. 

Marcada por peculiaridades e pela grande extensão territorial, a Região 7 compreende os estados do Acre, Amazonas, Roraima, Pará, Piauí, Maranhão e Ceará. Ao todo, são três Conselhos Metropolitanos (Belém, Teresina e  Fortaleza), 478 Conferências, sendo que 26 delas são CCAs, 78 Conselhos Particulares e 16 Conselhos Centrais. São 3.515 vicentinos atuando nesta Região, que reúne cinco Obras Unidas. Ela tem Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como Padroeira e sua cor é amarelo. 

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY