Celebrada na data de hoje, Irmã Rosalie Rendu é uma inspiração feminina dentro da SSVP

0
2658

Nesta terça-feira, 7 de fevereiro, homenageamos a Beata Rosalie Rendu, Filha da Caridade de São Vicente de Paulo. Para celebrar a data, a SSVP Brasil convidou a consócia Ada Ferreira, Ex-presidente do CNB e representante da Rede de Afeto, para falar sobre a representatividade de Rosalie para as mulheres vicentinas. Confira.

A Irmã Rosalie Rendu foi a presença feminina de muito significado e relevância nos rumos da Confraria de Caridade, que mais tarde passou a ser chamada de Sociedade de São Vicente de Paulo. Os jovens estudantes, motivados por Frederico Ozanam e orientados por Bailly, encontraram na Irmã Rosalie o olhar atento e cuidadoso presente nas mulheres.

Irmã Rosalie, desde 1804, iniciou seus trabalhos diretamente com os Pobres, seguindo o legado de São Vicente de Paulo, de Santa Luísa de Marillac e de tantos outros membros da família vicentina. Quando Frederico Ozanam e seus amigos foram apresentados para Irmã Rosalie, ela já tinha quase três décadas de serviço missionário e de caridade junto aos Pobres. Ela trabalhava no bairro parisiense de Mouffetard, marcado por uma enorme pobreza: as pessoas residiam em casebres insalubres, com inúmeras doenças, sofrimento existencial e espiritual.

Durante o encontro, Rosalie soube acolher, acompanhar, orientar, estender a mão para os jovens que chegaram ansiosos por praticar a caridade e dar uma resposta em ação sobre o que os católicos faziam naquele tempo. Os jovens souberam respeitar, ouvir, receber as orientações e, principalmente, estavam abertos para caminhar ao lado de Irmã Rosalie.

A Sociedade de São Vicente de Paulo nasceu e se multiplicou tendo a presença silenciosa, mas muito efetiva e afetiva da Irmã Rosalie Rendu. Os jovens fundadores aprendiam na convivência fraterna, na catequese vicentina, pilares importantes no encontro com os mais Pobres. Rosalie orientava na missão da visita domiciliar aos Pobres, indicava-lhes as famílias que eles deveriam visitar e que, nas visitas, eles encontravam e serviam Cristo na pessoa dos mais necessitados.

A visita domiciliar aos Pobres, umas das principais atividades da SSVP, é fruto do encontro de Frederico Ozanam, seus amigos e Irmã Rosalie. Toda Conferência vicentina semanalmente realiza a visita aos Pobres. Os membros da SSVP adentram na casa das pessoas, colaboram com o que eles solicitam para minimizar suas dificuldades existenciais, mas, acima de tudo, através da visita, carregam em si uma característica muito importante: trabalhar a espiritualidade e ter a oportunidade de catequizar e evangelizar os Pobres.

Numa luta incansável contra a miséria e na busca de promover a dignidade dos Pobres, Irmã Rosalie se tornou uma grande figura de Paris no século XIX. Ela era admirada, respeitada pelas autoridades políticas e eclesiásticas, e, sobretudo, amada e venerada por todo o povo simples do Bairro Mouffetard.

Ao acolher a missão de servir aos Pobres, encontramos as qualidades de uma grande liderança feminina: humildade, compreensão, abnegação e capacidade de organização. Compreendendo as necessidades dos Pobres, fundou uma escola, uma creche, um orfanato, um patronato para jovens operárias, um dispensário e uma casa para idosos, tudo para combater a pobreza.

Irmã Rosalie, cercava-se de numerosos colaboradores generosos e eficazes, pois ninguém conseguia resistir aos apelos daquela mulher tão persuasiva. Ela buscava todos os meios para servir aos Pobres. Despertava a consciência dos que tinham poder e dinheiro, estimulava a partilha, apoiava e aconselhava seus amigos engajados nas reformas sociais, mas por predileção, ia ao encontro de “seus Mestres”, ali onde estava a miséria.

Percorria diariamente as ruas dos bairros mais pobres de Paris, tendo o terço na mão, um pesado cesto no braço e passo apressado, porque sabia que alguém a esperava. Com a sua delicadeza em servir, Irmã Rosalie deixou este grande legado para todos nós membros da SSVP e para toda Família Vicentina.

“Lutar contra a miséria para devolver à pessoa sua dignidade”, foi o objetivo da vida de doação total de Irmã Rosalie Rendu. Ela atuou, por mais de 50 anos, no bairro Mouffetard, o mais carente de Paris. Morreu em 7 de fevereiro de 1856, após uma enfermidade. No dia de seu sepultamento, a Cidade de Paris foi marcada pela presença de inúmeros Pobres que acompanharam o cortejo fúnebre, em agradecimento por tudo que receberam da Irmã Rosalie. Em seu túmulo é possível encontrar, sempre, flores e pessoas que reconhecem seus feitos, sua capacidade em semear o respeito, a caridade, as boas obras e o amor pelos Pobres.

ORAÇÃO PELA CANONIZAÇÃO DA ROSALIE RENDU E FREDERICO OZANAM

Deus, Pai pleno de misericórdia, Vós que inspirastes o bem-aventurado Antônio Frederico Ozanam, pai de família e professor na Sorbonne, principal fundador da Sociedade de São Vicente de Paulo, e a bem-aventurada Rosalie Rendu, Filha da Caridade, apóstola do bairro de Mouffetard, em Paris, a amar o Cristo em seus irmãos, os mais Pobres.

Concedei-nos as graças que vos pedimos, pela intercessão de ambos, para que a Igreja possa proclamá-los santo e santa, e revelar sempre mais o vosso amor aos mais fracos e mais necessitados.

Por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Amém!

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY