A Ressurreição de Cristo é também a nossa Ressurreição!

0
7078

Por que procurais entre os mortos Aquele que está vivo?” (Lc 24,5)

Pe. Luís Carlos do Vale Fundão.

Congregação da Missão, Província do Rio de Janeiro.

Diretor do Santuário do Caraça/MG.

A celebração da Páscoa da Ressurreição de Jesus é o evento litúrgico mais importante de nossa vida cristã e da nossa Igreja. É a Ressurreição de Cristo o fundamento da nossa fé e sem o qual não podemos existir enquanto cristãos. “Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa fé” (1 Cor 15,12). Essas palavras do Apóstolo Paulo trazem, pois, o sentido e a razão do ser do cristianismo.

A celebração da Páscoa cristã não está mais inserida no contexto da antiga celebração judaica da Páscoa, embora tenha nascido dela. Para os irmãos judeus, a Páscoa é a passagem da escravidão para a liberdade. Uma memória do evento que marcou a vida do povo hebreu. Deus libertou o seu povo da escravidão no Egito, pelas mãos de Moisés e o fez atravessar o mar vermelho a pé enxuto. Uma travessia difícil, sofrida, com muitos percalços, mas, importante e fundamental.

A Páscoa de Jesus também é uma passagem e uma travessia. É passagem porque Cristo vence a morte e torna à vida. O Pai do céu faz com que o seu Filho Jesus vença os últimos adversários da vida humana: o mal e a morte. Embora o mal ainda exista no mundo e a morte biológica ainda seja parte da vida humana, condição de nossa finitude, ambos estão vencidos.

A Páscoa de Jesus torna-se também um evento de travessia, pois, o mal não tem a última palavra na história da humanidade porque Deus sempre vence e a morte está vencida porque em Cristo, ela é apenas uma passagem para a verdadeira vida que está escondida no Coração do Pai: de Deus nós viemos e para o coração de Deus nós retornamos. Nele está, então, a verdadeira vida!

Se a experiência de ressurreição fará parte do momento último de nossa existência, é bem verdade também que Cristo nos oferece, já ainda neste mundo, vivermos contínuas experiências de ressurreição. Acreditar na ressurreição de Cristo, que ele vive e está presente em nossas vidas, faz com que nós, seus discípulos, não nos detenhamos diante dos fracassos da vida, não desanimemos diante das experiências frustradas, não nos rendamos ao pessimismo e, tão pouco, não sucumbamos diante do mal, pois, ele já está derrotado.

A fé na ressurreição de Jesus nos faz crer que a vida não tem fim e que há um horizonte infinito de muitas possibilidades para nós que cremos. Cristo vai à nossa frente sempre. É o nosso companheiro de caminhada rumo à vitória, às conquistas, à superação da dor e dos sofrimentos e à contemplação de dias melhores: “Não estava o nosso coração ardendo quando ele nos fala pelo caminho e nos explicava as escrituras?” (Lc 24,32).

Como servidores da caridade, somos animados por Cristo a continuarmos o seu projeto de amor junto aos seus irmãos mais queridos, os Pobres. A fé na ressurreição do Senhor imprime no coração de todo cristão um ardor tão grande e forte que o faz romper todas as possíveis barreiras que poderiam ser um empecilho à caridade. Faz o cristão acreditar como São Vicente, como Santa Madre Tereza de Calcutá, como a Santa Irmã Dulce dos Pobres… pois, a caridade não conhece barreiras, não se detém diante dos obstáculos, não se amedronta, não se deixa vencer pelo mal e pelo pessimismo. Mas, ao contrário, como dizia São Vicente de Paulo: “é inventiva até o infinito”, pois, encontra muitas formas para servir.

Celebremos com alegria a Páscoa de Jesus! Que Ele, razão de ser de nossa existência e de nossa vida Cristã também nos faça ressuscitar sempre e ressuscite também os nossos sonhos, projetos de vida, o nosso ânimo para continuar servindo e seguindo. Que a luz do Cristo ressuscitado ilumine as nossas vidas e nos fortaleça em nossa caminhada cristã! Feliz Páscoa a todos os irmãos e irmãs na fé!

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY