Romaria é transferida para 2021; entenda os motivos da mudança

1
7272

O Jubileu de Ouro da Romaria Nacional dos Vicentinos ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida (SP) precisou novamente ser adiado. A festa, que aconteceria em dezembro, será nos dias 2, 3 e 4 de julho de 2021. A alteração visa a segurança dos romeiros diante da pandemia do novo Coronavírus, seguindo as orientações do próprio Santuário.

O município de Aparecida segue o Plano São Paulo que é uma estratégia consciente de retomada dos serviços durante a pandemia. O plano é dividido em quatro etapas:

  • vermelha (primeira fase, com a permissão apenas dos serviços essenciais)
  • laranja (segunda fase, com capacidade de 20% de lotação dos estabelecimentos e limite de horários)
  • amarela (terceira fase, com capacidade de 40% de lotação e limite de horários)
  • verde (quarta fase, com capacidade de 60% de lotação)

Com o crescente número de casos da Covid-19, Aparecida ainda está na fase laranja. Se houver uma melhora acentuada na situação, o município poderá atingir a etapa verde até dezembro. Nesta fase há uma flexibilização maior, no entanto, não a ponto de permitir a perfeita realização de um evento do porte da Romaria Nacional dos Vicentinos, quando são reunidas cerca de 40 mil pessoas.

Se o Conselho Nacional do Brasil da Sociedade de São Vicente de Paulo (CNB/SSVP) insistisse na manutenção da Romaria, além de expor os vicentinos aos riscos da contaminação, teria que fazer uma festa muito reduzida e totalmente diferente do que acontece no maior evento vicentino do mundo. Por exemplo: apenas 60% do público poderia participar, mediante inscrição. Nas atividades, o distanciamento seria de no mínimo 1.5 metro entre cada romeiro, com filas e espaços demarcados.   

Também esta é uma hipótese. Se a cidade não reduzir os índices de contágio, que em cada fase implica em 28 dias consecutivos sem o aparecimento de um novo caso da Covid-19, o município pode não mudar de etapa, o que aumentariam as medidas restritivas. Para se ter uma noção: hoje, as Missas na Basílica são celebradas com o número limitado de participantes, no entanto, não é permitida a entrada de ônibus de excursões em Aparecida. 

O presidente do Conselho Nacional do Brasil, confrade Cristian Reis da Luz, está muito triste com esta decisão recomendada pelo Santuário, no entanto, ciente de que é preciso respeitá-la para o bem de todos. “Já vivemos um ano difícil e nos entristece ainda mais não poder nos reencontrarmos, como tradicionalmente fazemos na casa da Mãe Aparecida. Mas precisamos respeitar as normas de segurança, porque cuidar da saúde uns dos outros é mais que um dever, é uma obrigação nossa enquanto vicentinos, zeladores incondicionais da vida”.

A consócia Elisabete Castro, primeira vice-presidente do CNB e coordenadora nacional da Romaria, complementa que a beleza da Romaria está na reunião, no reencontro, no abraço, atos estes que não podem acontecer em 2020. “Para nós, é importante que todos participem, ainda mais neste evento tão importante que vai comemorar os 50 anos da peregrinação. Não seria justo limitar quantas pessoas poderiam celebrar a data”.

Por que a Romaria será em julho?

A data da Romaria é definida com a administração do Santuário Nacional e acontece geralmente em abril. Só que a Basílica não tem mais agenda disponível para este mês no ano de 2021.

O CNB tentou transferi-la para as proximidades do dia 22 de agosto, quando se celebra a beatificação de Ozanam, mas a data também não estava disponível, por isso, foi necessário optar pelo início de julho. “Vai ser a Festa de Ozanam e os 50 anos das Romarias do mesmo jeito. A comemoração continuará grande e seguindo o seu ritmo. Sabemos que não é o mês de Ozanam, mas é a saída para a segurança dos nossos romeiros vicentinos e de todas as pessoas que participam de nossa Romaria”, conclui o presidente Cristian Reis.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL  

Comente pelo Facebook

1 COMMENT

  1. Seja feita a vontade de Deus. Vamos relembrar quando Jesus disse a Maria: minha hora ainda não chegou. Deus sabe de tudo. Na certa Deus nos deu um grande livramento. Vamos continuar em oração. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Deixe uma resposta para Olímpia Gomes de Santana Nunes Cancel reply