No Dia dos Namorados, casal vicentino relembra sua história de amor

0
273

No vasto universo da SSVP, onde a caridade e a compaixão são pilares fundamentais, algumas histórias se destacam pela sua profundidade e ternura. É o caso de Bruno Ávila, Coordenador da Comissão Jovem (CJ) do Conselho Metropolitano (CM) de Pouso Alegre/MG, e Ingrid Maria Gomes Venceslau, presidente da Conferência Santa Luzia, em Glória/BA, um casal que se encontrou durante a Missão Vicentina Jovem “Simbora, meu povo!”, realizada em janeiro desse ano, e transformou sua conexão em um relacionamento sólido e amoroso.

O Primeiro Encontro

Bruno e Ingrid se conheceram durante a missão em Paulo Afonso/BA, mais precisamente no povoado de Porto da Serra, no município de Glória/BA. Para Bruno, foi um momento de admiração imediata. “Meu primeiro sentimento foi de admirar uma moça tão delicada, gentil e com um olhar sereno”, relembra. Ingrid também ficou encantada com Bruno. “Eu o achei tão legal, carinhoso, atencioso; fiquei encantada com sua personalidade. Queria muito uma amizade com ele”, conta.

Durante a missão, Bruno se impressionou com a preocupação e dedicação de Ingrid em receber os novos missionários, além do carinho e cuidado que demonstrava a todos. Já ela, foi sendo conquistada por ele através das conversas: “além da personalidade dele ser encantadora, percebi que tínhamos muitas coisas em comum”, conta a jovem vicentina. 

Relacionamento a Distância

Como qualquer casal, Bruno e Ingrid enfrentaram desafios, sendo o principal a distância entre eles, já que Bruno mora em Carmo do Rio Claro/MG e Ingrid em Glória/BA. “A fé que cada um de nós tem é o maior princípio em nosso relacionamento, como a frase é bem clara: a fé move montanhas e me moveu de Minas até a Bahia para revê-la e pedir em namoro”, conta Bruno.

Momentos Marcantes

Apesar da distância, os dois já colecionam momentos importantes para o relacionamento. “O responsável por nos unir foi São Vicente e mais ninguém”, afirma o casal, que relembra do primeiro encontro, que resultou no primeiro beijo: “foi no Lar da Criança, onde estávamos hospedados para a Missão. Durante um momento de descanso, disse a ela que ia dar um ‘presente’, então pedi que fechasse os olhos e contasse até três. No dois, dei um selinho”, conta Bruno. 

Ele também lembra da primeira vez que disse as palavras “eu te amo” a Ingrid, sua bela flor do mandacaru, como ele carinhosamente a chama: “foi por mensagem, porque já estava em Minas, dia 28 de janeiro. Sei que dizer a alguém que a ama em tão pouco tempo é loucura, mas a loucura maior seria se eu não dissesse a ela o que realmente sinto”.

Ingrid conta que: “uma vez minha mãe falou que as melhores coisas da vida chegam sem avisar e foi assim com ele. Tudo aconteceu de modo tão suave, tão simples, tão natural, como se o nosso encontro já tivesse sido planejado por Deus, com dia e hora marcada”, fala a jovem, que ainda se declara para seu parceiro:“ você é a resposta para todas as minhas orações, você é uma canção, um sonho. Eu amo nossos momentos, eu amo como você me faz sorrir, eu amo nossas brincadeiras, seus abraços apertados, eu amo você mais do que você é capaz de imaginar”.

Planos Para o Futuro

Os dois contam que querem construir os sonhos juntos. “Se for da vontade de Deus e São Vicente, construiremos nossa família, seja em Minas ou Nordeste. E temos planos de conhecer o mundo, principalmente a França, onde está localizada a capela de São Vicente de Pulo”, conta Bruno. 

Para os casais que se inspiram nessa história de amor vicentina, Bruno e Ingrid deixar um conselho: “cuidem um do outro, deem respeito um ao outro, aceitem suas diferenças. Não é a distância que atrapalha um relacionamento, mas sim as atitudes desagradáveis que destroem o que Deus uniu”.

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY