Bah tchê: no Sul, vicentinos aliam tradição e caridade

0
806

O roteiro de uma reunião da Conferência de Criança e Adolescente Menino Jesus, em Marau (RS), segue a Regra da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP), no entanto, tem toques da tradição local. Nos momentos de animação, os participantes cantam a paródia de uma música gaúcha que ganhou letra vicentina.

A canção O vicentino de Passo Fundo, criada pelo confrade André Miranda, faz a alegria dos 10 adolescentes que integram a Conferência. E não pense neste momento como algo desorganizado ou de baderna juvenil. As tradições gauchescas são fielmente respeitadas. Um dos membros toca violão e outro a gaita. Antes da pandemia, a cuia com chimarrão – bebida típica do Sul – era partilhada.

Segundo o orientador da Unidade Vicentina, confrade Leonardo de Tolledo Maciel, a música, além de tornar a reunião mais alegre, faz com que os integrantes assimilem de forma mais fácil a importância da caridade.

Conferência Menino Jesus, em Marau (RS)

A opção da paródia em ritmo gaúcho, em detrimento das músicas que estão nas paradas de sucesso, acontece porque no Rio Grande do Sul as tradições são muito valorizadas, e as crianças aprendem desde cedo a respeitá-las. “O amor pela tradição corre na veia do gaúcho e as crianças amam isso; sem contar que a música diz muito dos vicentinos”, enaltece Leonardo.

Com a pandemia, as reuniões da Conferência Menino Jesus ficaram paralisadas só em março. Já em abril, as atividades foram inicialmente retomadas on-line e, agora, já são presenciais, adotando todas as medidas sanitárias na prevenção à Covid-19.

A seguir, confira a música O vicentino de Passo Fundo, tocada e cantada por Rafael Fortunatti e Igor Giollo.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL       

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY