Assistidos são beneficiados com pratos típicos do Festival de Comidas Gigantes

0
742

Não é só a alegria que caracteriza as comemorações juninas em Caruaru, no agreste pernambucano. Os moradores gostam mesmo é de números expressivos. Além de disputar com Campina Grande (PB) o título de maior São João do Mundo, Caruaru se destaca por promover o Festival de Comidas Gigantes.

Grande também é a solidariedade. Este ano, como as festas estão suspensas por causa da Covid-19, os ingredientes que fariam os pratos do campeonato de Comidas foram doados por uma empresa para a preparação e distribuição a instituições beneficentes. Os assistidos da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP) já receberam cuscuz e bolo de rolo.

Nesta época do ano, antes da pandemia, era comum a produção do cuscuz gigante feito com 800 quilos de flocos de milho, em uma cuscuzeira de 4,2 metros. Já o bolo de rolo ultrapassava os 40 metros e 245 quilos.

A doação dos alimentos beneficiou os moradores de duas das cerca de 15 Vilas Vicentinas da cidade. Nelas moram famílias de baixa renda em casas pertencentes à SSVP. Algumas pagam uma taxa de manutenção de R$40; outras têm a isenção da cobrança. Todas são carentes. “São pessoas que ganham muito pouco, estão desempregadas ou moravam na rua. A gente dá as mãos para que as famílias possam se reerguer e ‘bater asas’ sozinhas”, expõe o confrade Pedro Hermínio do Nascimento, presidente do Conselho Central de Caruaru.

Vicentinos da cidade de Caruaru (PE)

Na cidade de Caruaru, a SSVP tem cerca de 15 Conferências. Segundo o confrade Pedro, desde o início da pandemia, as reuniões presenciais estão suspensas. O que não para é o número de pessoas pedindo ajuda.

A Festa de São João aquece a economia local e muitas famílias conseguem uma renda extra em atividades informais. A própria SSVP também promovia show de prêmios ou pequenos bailes. O dinheiro era usado na manutenção das Vilas e na compra de cestas básicas.

O presidente do Conselho Central de Caruaru espera que dias melhores cheguem logo. “No dia 24 de junho, quando comemoramos São João, não teve fogueira, música, festa e as vidas das cerca de cem pessoas que morreram pela Covid-19 na cidade; muitas delas eram entusiastas da festa”. Planeja. “A gente espera um 2021 bem diferente, com muita saúde e animação”.

Fonte: Redação do SSVPBRASIL     

Comente pelo Facebook

LEAVE A REPLY